A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

19/01/2016 09:05

Infestada pelo Aedes, cidade vai multar gestor que não combater dengue

Decreto publicado nesta terça-feira responsabiliza gestores de órgãos municipais, estaduais e federais que não adotarem ações contra inseto responsável pela transmissão de dengue e zica vírus

Helio de Freitas, de Dourados
Mutirões de limpeza foram intensificados com contratação temporária de 50 agentes de saúde (Foto: Divulgação)Mutirões de limpeza foram intensificados com contratação temporária de 50 agentes de saúde (Foto: Divulgação)

Com índice de infestação de Aedes aegypti superior a 4%, quando o considerado tolerável pela OMS (Organização Mundial da Saúde) é de 0,1%, o município de Dourados, a 233 km de Campo Grande, decidiu apertar o cerco contra o transmissor da dengue, febre chikungunya e zica vírus.

Além da contratação temporária de 50 agentes de saúde e aumento dos mutirões desde a semana passada, nesta terça-feira (19) foi publicado no Diário Oficial do Município um decreto, assinado pelo prefeito Murilo Zauith (PSB), prevendo multa a gestores de órgãos públicos que não adotarem medidas para combater o mosquito.

De acordo com a prefeitura, a nova investida da “guerra contra a dengue” vai responsabilizar gestores e entidades públicas de administração direta ou indireta tanto municipal, quanto estadual e federal, que não fizerem a manutenção dos prédios para impedir a proliferação do mosquito.

Quem não cumprir o decreto será multado com base na lei nº 2.850, de 10 de abril de 2006, a chamada “Lei da Dengue”, e pelo decreto nº 3.843, de maio de 2006.

“Não podemos deixar que a nossa cidade tenha um surto, por isso estamos adotando medidas mais rigorosas”, afirmou o prefeito através da assessoria. Segundo ele, o exemplo deve partir do próprio poder público.

Conforme o secretário municipal de Saúde, Sebastião Nogueira, existem casos em que os gestores ficam esperando a prefeitura fazer a manutenção de seus órgãos ou entidades. “A partir de agora eles terão o dever de verificar as condições do prédio, do quintal e providenciar a limpeza frequente para evitar depósitos de água parada que possam se transformar em criadouros do mosquito”.

Mutirões – A prefeitura promete manter os mutirões nos bairros para combater focos do inseto. Até agora o trabalho, reforçado pelo apoio do Exército, já foi feito no Canaã III, Cohab II, Jardim dos Estados, Parque das Nações II, Água Boa, Jardim Flórida, Parque do Lago e Novo Horizonte. Nesta quarta (20) o mutirão será no Jardim Santa Brígida, com participação de pelo menos cem agentes de saúde com o apoio de voluntários e soldados.

A prefeitura informou que a força-tarefa contra a dengue liderada pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) já vistoriou 15 mil imóveis, expediu 300 notificações, fez o trabalho de bloqueio do mosquito com uso de fumacê em 370 quarteirões e eliminou 400 focos do Aedes aegypti.

Polícia carioca pede extradição de traficante preso no Paraguai
A extradição do traficante Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, preso na cidade de Encarnación, no Paraguai, perto da fronteira com Mat...
Uems recebe inscrições em seleção para cursos de Educação à Distância até dia 22
Seguem abertas até 22 de dezembro as inscrições no processo seletivo de cursos de graduação e pós-graduação, na modalidade EaD (Educação à Distância)...


Se fizessem o mesmo em Campo Grande, coitada da prefeitura, iria receber de 10 a 20 multas por dia, hoje o problema da dengue em Campo Grande é mais agravado pelas ações da prefeitura do que pela dos cidadãos, todas as obras paradas e que são da prefeitura tem infestação de mosquito, todas.
 
Max em 19/01/2016 13:45:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions