A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 15 de Outubro de 2019

20/10/2018 10:29

Interino é homologado como candidato a prefeito em eleição extemporânea

Atual presidente da Câmara, André Nezzi, do PDT, assumiu prefeitura após a cassação de Mário Valério por compra de voto

Helio de Freitas, de Dourados
André Nezzi com Mário Valério (1º à esquerda) e o deputado Zé Teixeira (Foto: Divulgação)André Nezzi com Mário Valério (1º à esquerda) e o deputado Zé Teixeira (Foto: Divulgação)

O vereador e prefeito interino André Nezzi teve seu nome homologado em convenção na noite de ontem (19) como candidato do PDT à Prefeitura de Caarapó, cidade a 283 km de Campo Grande.

A eleição extemporânea foi marcada para o dia 25 de novembro pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) após a cassação do mandato do prefeito Mário Valério (PR) e de seu vice Martin de Araújo (DEM), eleitos em 2016, por compra de voto.

Jornalista, Nezzi presidia a Câmara de Vereadores até o dia 21 do mês passado, data em que foi empossado como prefeito interino até a eleição e posse do novo chefe do Executivo.

A chapa encabeçada por André Nezzi tem nove partidos coligados – PDT, DEM, PR, MDB, PT, PRB, PSB, PP e PTC. O DEM indicou como vice o empresário Leônidas Ignácio Moreno, o “Gordo da Tigre”.

André Nezzi também tem apoio do deputado estadual Zé Teixeira (DEM), que estava na convenção, e do prefeito cassado Mário Valério. O prefeito interino já era aliado de Valério no Legislativo.

“Um menino novo e capaz de cuidar bem dos rumos do município”, disse Zé Teixeira sobre a candidatura de André Nezzi. O deputado federal Geraldo Resende (PSDB) também foi à convenção para apoiar o candidato.

André Nezzi prometeu manter o legado de Mário Valério. “Um legado de muito esforço e trabalho”, afirmou. A coligação recebeu o nome União, Trabalho e Prosperidade.

Eleição extemporânea – Os partidos têm até amanhã para fazer as convenções. O registro de candidaturas deve ser feito até 25 de outubro.

A propaganda eleitoral será realizada entre os dias 26 de outubro e 24 de novembro. A votação será no dia 25 do mês que vem. Com isso, serão 42 dias entre a data inicial das convenções e a votação, e 66 dias até a diplomação.

A cassação foi decretada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em 28 de agosto, restabelecendo os efeitos de decisão expedida em dezembro de 2016 pela juíza eleitoral Cristiane Aparecida Biberg de Oliveira, da 28ª Zona Eleitoral – revertida no TRE.

Valério e o vice foram acusados de abuso de poder econômico, por distribuição de combustíveis para eleitores participarem de uma carreata, e uso de indevido dos meios de comunicação na eleição.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions