A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Agosto de 2019

19/03/2019 16:28

Licitação de R$ 5 milhões é esperança para fim da buraqueira das ruas

Prefeitura anunciou que vai usar dinheiro próprio para recuperar ruas castigadas por falta de manutenção e pela chuvarada

Helio de Freitas, de Dourados
Chuvarada de fevereiro e março piorou buraqueira nas ruas de Dourados (Foto: Helio de Freitas)Chuvarada de fevereiro e março piorou buraqueira nas ruas de Dourados (Foto: Helio de Freitas)

A buraqueira toma conta das ruas de Dourados, segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul localizada a 233 km de Campo Grande. Se não bastasse a falta de manutenção por parte da prefeitura, em fevereiro e nos primeiros 19 dias de março choveu acima da média esperada, castigando ainda mais as ruas do centro e dos bairros.

As únicas vias livres de buracos são as três avenidas da área central – Joaquim Teixeira Alves, Weimar Gonçalves Torres e Marcelino Pires – recapeadas no ano passado pelo governo do Estado.

A obra na Marcelino ainda não foi concluída, assim como o recapeamento da parte sul da Hayel Bon Faker, também paga com dinheiro estadual. O governo do Estado investiu R$ 22 milhões para recuperar as vias.

Nas demais ruas, andar de carro, de moto ou bicicleta virou uma aventura. A situação é crítica até na área central, que normalmente recebe atenção maior da prefeitura. O serviço paliativo, feito com massa fria, foi retomado no mês passado, mas nesta semana está parado por causa da chuva.

A prefeita Délia Razuk (PR) prometeu destinar R$ 5 milhões em dinheiro próprio do município para tapar buracos. Ela mandou abrir licitação para contratar a empresa que fará o serviço. Entretanto, devido à burocracia de um processo licitatório, o contrato só deve ser assinado no segundo semestre.

“Temos prioridade nessa licitação para que a recuperação das ruas seja reforçada. Os buracos geram transtornos para todos e, em Dourados, é um problema crônico, agravado a cada dia pelo aumento do tráfego e as chuvas, e pela dificuldade em conseguir recursos para este fim”, afirmou a prefeita.

Segundo ela, além dos recursos, outros R$ 500 mil repassados pelo governo do Estado serão destinados para o tapa-buraco. A manutenção das ruas ficou parada desde o fim de 2018 e só foi retomada no mês passado, com a compra de material para a produção de massa fria.

Cobrança – Nesta semana, o deputado estadual Marçal Filho (PSDB), que faz oposição à atual prefeita, cobrou da prefeitura um planejamento anual para restauração da malha asfáltica. "A cidade está em estado de abandono. É preciso urgente de um cronograma de trabalho nas áreas de recuperação de ruas e na iluminação pública. A reclamação é geral da população", afirmou.

Ele criticou a falta de qualidade do serviço de tapa-buraco feito com massa fria. Segundo o deputado tucano, esse tipo de material desaparece com a primeira chuva. "É dinheiro público jogado fora", afirmou.

Outra demanda recorrente da população é sobre a falta de iluminação pública na cidade, apesar da arrecadação milionária com a taxa de iluminação. Segundo o deputado, o problema ocorre porque a prefeitura não investe todo o dinheiro na manutenção da iluminação das ruas.

Falta de manutenção deixou ruas intransitáveis e recuperação ainda deve demorar (Foto: Helio de Freitas)Falta de manutenção deixou ruas intransitáveis e recuperação ainda deve demorar (Foto: Helio de Freitas)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions