ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  01    CAMPO GRANDE 27º

Interior

Maconha encontrada sob carga de soja a granel pesou 3,3 toneladas

Droga tinha saído de entreposto em Ponta Porã e seguia para São Paulo

Por Helio de Freitas, de Dourados | 24/06/2021 13:29
Fardos de maconha retirados de carreta com carga de soja a granel (Foto: Divulgação)
Fardos de maconha retirados de carreta com carga de soja a granel (Foto: Divulgação)

Pesou 3.300 quilos a maconha encontrada sob carga de soja a granel em carreta apreendida na madrugada de hoje (24) na MS-164, no município de Ponta Porã (a 323 km de Campo Grande), fronteira com o Paraguai.

A carreta interceptada pela Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira) era conduzida por Wagner Inácio Lemes, 27, morador em Uberlândia (MG). Ele disse que tinha sido contratado para levar a carreta com a droga de Ponta Porã a São Paulo.

Segundo a Defron, a quantidade de droga encontrada na carreta é considerada pequena devido ao grande volume ocupado pelos fardos porque grande parte era formada por skunk, a chamada “supermaconha”.

Ao contrário da maconha comum, que é dividida em tabletes compactados em prensa hidráulica, o skunk é transportado em folhas secas, gerando mais volume. Entretanto, enquanto o quilo da maconha é vendido em Dourados por R$ 350,00, o do skunk alcança R$ 1.200,00. A carga apreendida hoje foi avaliada em pelo menos R$ 3,5 milhões.

O delegado Rodolfo Daltro, chefe da Defron, informou que a maconha saiu de entreposto do tráfico no bairro Kamel Saad, em Ponta Porã, e foi descoberta depois de 20 dias de investigações. Ao ser abordado na estrada, Wagner Lemes foi enfático ao afirmar que não havia droga na carreta tinha acompanhado o carregamento de soja.

Como já tinham pistas sobre a droga, os policiais vistoriaram a carga e encontraram os fardos de maconha e skunk. Autuado em flagrante por tráfico na sede da Defron em Dourados, Wagner disse não conhecer a pessoa que o contratou.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário