A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Maio de 2019

20/03/2019 12:40

Manhã de chuva tem árvores caídas, ruas alagadas e trânsito caótico

Uma árvore caiu em cima de motos estacionadas em frente ao shopping; Defesa Civil não recebeu chamados de alagamentos

Helio de Freitas, de Dourados
Árvore caiu sobre motos em frente ao shopping de Dourados (Adalberto Domingos)Árvore caiu sobre motos em frente ao shopping de Dourados (Adalberto Domingos)
Outra árvore caiu na Avenida Hayel Bon Faker (Foto: Adilson Domingos)Outra árvore caiu na Avenida Hayel Bon Faker (Foto: Adilson Domingos)

O último dia do verão tem sido de chuvas intensas na região sul de Mato Grosso do Sul. Além da fronteira com o Paraguai, que está debaixo de água, chove muito em Dourados, a 233 km de Campo Grande, e nas cidades vizinhas.

Na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, são quase 24 milímetros de chuva desde 10h20, segundo o Guia Clima da Embrapa Agropecuária Oeste. O acumulado nos primeiros 20 dias do mês chega a 190 milímetros, quando a precipitação esperada para março inteiro era de 139 mm.

O vento que acompanhou a chuva por volta de 11 derrubou várias árvores na área central e nos bairros de Dourados. Uma árvore caiu em cima de motos estacionadas em frente ao Shopping Avenida Center.

Outra árvore foi arrancada pela raiz e interrompeu o trânsito na Avenida Hayel Bon Faker, entre as ruas Antônia Cândido de Melo e João Damaceno Pires, no Jardim Água Boa.

Também teve queda de árvores na Rua Mozart Calheiros, em frente à Escola Maria da Glória, na Rua Hilda Bergo Duarte entre Major Capilé e Oliveira Marques, no BNH 3º Plano e na Escola Álvaro Brandão, no João Paulo II.

O coordenador da Defesa Civil, Ademir Martins, disse que não houve chamado sobre alagamentos e o órgão foi acionado apenas em relação à queda de árvores.

Em frente ao DOF (Departamento de Operações de Fronteira), na Rua Coronel Ponciano, a água da chuva ficou empoçada e formou uma piscina de lama, como sempre ocorre em dias chuvosos.

Na área central, a chuva deixou o trânsito caótico por volta de 11h. A interdição da Avenida Marcelino Pires por causa da árvore que caiu em frente ao shopping causou um congestionamento de três quarteirões e os carros demoraram até dez minutos para deixarem o local, situação rara na cidade de menos de 220 mil habitantes.

Situação semelhante ocorreu em frente às escolas da área central no horário de saída dos alunos do período matutino. Um dos locais mais complicados é a Escola Estadual Presidente Vargas, a maior da cidade. Mesmo com a chuva e o congestionamento desta quarta não havia nenhuma equipe do serviço de trânsito no local.

Veja abaixo mais imagens dos efeitos da chuva desta quarta em Dourados:




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions