ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEXTA  20    CAMPO GRANDE 15º

Interior

Morto em fazenda teve filho e neta executados há menos de 2 anos

Em ambos os casos, os criminosos continuam foragidos

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 13/05/2022 21:24
Filho de homem executado nesta sexta-feira, quando foi alvo de atentado há menos de 2 anos. (Foto: Divulgação)   
Filho de homem executado nesta sexta-feira, quando foi alvo de atentado há menos de 2 anos. (Foto: Divulgação)

Executado com disparos de armas de grosso calibre, o produtor rural Dorvalino Antunes Pinto, de 68 anos, perdeu filho e neta em outro atentado brutal há menos de dois anos. O brasileiro Michel Antunes, de 35 anos, filho de Dorvalino, morreu ao lado da filha, de apenas 9 anos, quando a caminhonete em que estavam foi crivada de balas em dezembro de 2020, em Zanja Pytã, cidade paraguaia localizada ao lado de Sanga Puitã, distrito de Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande.

Doravalino era conhecido como "Bigode". (Foto: Direto das Ruas)
Doravalino era conhecido como "Bigode". (Foto: Direto das Ruas)

A única sobrevivente do atentado foi a esposa de Michel. A polícia ainda investiga se há relação entre as duas execuções. Em ambos os casos, os criminosos continuam foragidos.

Na tarde desta sexta-feira (13), Doravalino, que era conhecido como "bigode", foi surpreendido por dois atiradores em sua fazenda na margem da MS-156, na saída de Amambai para Tacuru. A dupla já estava de tocaia, quando a vítima chegou no local a cavalo. Dorvalino foi morto a tiros de fuzil 5,56 e pistola calibre 9 milímetros. O animal também teria sido atingido na boca.

Um funcionário da propriedade conseguiu escapar do atentado, conforme apurado pela reportagem junto à Polícia Civil. Equipes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros foram ao local, mas Dorvalino Antunes Pinto já estava morto. Várias cápsulas foram recolhidas no quintal da casa.

Nos siga no Google Notícias