ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  03    CAMPO GRANDE 19º

Interior

Motim é controlado e corpo de detento decapitado é retirado de presídio

Sete internos que estavam na área disciplinar liberaram outros dois colegas de cela e foram levados para 2ª Delegacia de Polícia

Por Helio de Freitas, de Dourados | 24/02/2017 11:33
Força Tática da Polícia Militar no presídio de Dourados, hoje de manhã (Foto: Osvaldo Duarte)
Força Tática da Polícia Militar no presídio de Dourados, hoje de manhã (Foto: Osvaldo Duarte)

Foi controlado o motim em uma cela da área disciplinar da PED (Penitenciária Estadual de Dourados), iniciado na manhã desta sexta-feira (24). Os sete detentos que mantinham outros dois presos como reféns se entregaram após negociação com policiais militares e agentes penitenciários.

De acordo com a rádio Grande FM, os sete detentos estão sendo levados neste momento para a 2ª Delegacia de Polícia, na Vila Industrial, onde serão ouvidos sobre a morte do preso José Alécio dos Santos, 35, encontrado decapitado na cela onde ocorreu o motim.

Assim que os presos liberaram os reféns, a perícia da Polícia Civil entrou na cela para os levantamentos na cena do crime e autorizar a retirada do corpo de José Alécio, que cumpria pena por tráfico de drogas, homicídio, roubo e furto.

Após o depoimento na delegacia, onde os autores do crime serão autuados em flagrante pelo homicídio, os sete internos serão levados para uma unidade prisional de Campo Grande. A transferência foi uma das condições impostas para o fim do motim e liberação dos reféns.

José Alécio dos Santos foi encontrado decapitado dentro da cela. De acordo com a Agepen, ele cumpria pena há oito anos. O corpo foi encontrado pelos agentes penitenciários por volta das 6h, durante o confere da manhã, na abertura do pavilhão.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Osmar Blanco, acompanhou a negociação para liberação dos reféns. Em entrevista à rádio douradense, ele manifestou preocupação com a superlotação da PED, que tem pelo menos 2.200 internos.

Segundo ele, a OAB vai cobrar do governo do Estado a convocação de agentes penitenciários aprovados em concurso público para reforçar o trabalho interno do presídio.

Agepen – Em nota, a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) informou que providenciou a transferência dos sete internos para outros presídios do Estado, onde ficarão isolados, já tendo sido retirados da Penitenciária de Dourados. Entre os transferidos está o detento Rogério Lourenço dos Santos, que assumiu a autoria do homicídio.

“A Agepen está apurando as circunstâncias dos fatos e a morte será investigada pela Polícia Civil. A perícia técnica está na penitenciária realizando as averiguações necessárias. O clima na unidade prisional está aparentemente tranquilo”, informou a agência.