ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 26º

Interior

Mulher alega que matou marido para se defender de agressão

O casal morava numa fazenda a 52 quilômetros da área urbana; crime aconteceu na noite de sábado

Por Viviane Oliveira | 26/02/2024 09:15
Depoimento de Aparecida Garay foi gravado na delegacia (Foto: reprodução / auto de prisão em flagrante)
Depoimento de Aparecida Garay foi gravado na delegacia (Foto: reprodução / auto de prisão em flagrante)

A dona de casa Aparecida Garay, de 42 anos, presa em flagrante após ter matado o marido, Antônio Ediezio Senarega Lopes, de 49 anos, com facada no peito, alegou que cometeu o crime para se defender das agressões que sofria. O caso aconteceu numa fazenda na noite de sábado (24), em Rio Verde de Mato Grosso, distante 203 quilômetros de Campo Grande.

Segundo depoimento de Maria à polícia, fazia 1 ano que vivia com Antônio. Conforme a mulher, toda vez que ele bebia ficava agressivo e no dia dos fatos foi agredida e para se defender esfaqueou o marido. O casal morava numa fazenda a 52 quilômetros da área urbana.

Ela disse que no dia do crime, na parte da manhã, foi à lotérica, na sequência ao mercado e depois foi ao bar com o marido, onde consumiram cerveja. Até então estava tudo bem, mas quando foi à noite os dois passaram a discutiram. “Ele avançou em mim, apertou o meu pescoço e torceu o meu braço”. Para se defender, a mulher foi à cozinha, pegou a faca e esfaqueou o marido no peito. “Peguei a faca e soquei nele”.

Conforme boletim de ocorrência, após o fato Aparecida ligou para o gerente e contou que tinha matado Antônio, seu marido e funcionário da fazenda. Equipes da PM (Polícia Militar) e a Polícia Civil então foram acionadas e durante o trajeto encontraram uma mulher, de 23 anos, filha de Aparecida, que estava com mais duas pessoas.

Segundo ela, estava perdida e o carro sem freios, mas tinha urgência em chegar à casa da mãe, afirmando que Aparecida havia cometido um grande erro. Quando os policiais chegaram ao local, encontraram Antônio morto com ferimento no peito. O corpo estava posicionado de forma de crucifixo, com braços abertos e pés cruzados, sugerindo que alguém havia mexido no cadáver.

Aparecida e o outro filho, de 18 anos, haviam fugido de trator e foram encontrados na sequência, numa mata. Como o combustível havia acabado, o maquinário foi abandonado. Indagada, a mulher confessou ter esfaqueado o marido. Já o filho da investigada disse que no momento do crime estava dormindo e não presenciou os fatos. Era ele quem dirigia o trator. O rapaz foi liberado após ser ouvido como testemunha na delegacia.

A mulher passará por audiência de custódia na Justiça, para definir se ficará presa esperando o andamento do inquérito e posterior processo ou se poderá responder em liberdade.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias