ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 32º

Interior

Mulheres são presas por golpes em lojas e bancos com documentos falsos

Uma delas pediu empréstimo de R$ 70 mil e foi presa quando assinava outro contrato, de R$ 10 mil

Por Helio de Freitas, de Dourados | 05/08/2020 16:00
Momento em que uma das acusadas era conduzida à delegacia (Foto: Adilson Domingos)
Momento em que uma das acusadas era conduzida à delegacia (Foto: Adilson Domingos)

Tatiana do Rocio da Silva Araújo, 39, e Loziane de Sousa Carvalho, 34, foram presas em Dourados, a 233 km de Campo Grande, acusadas de usar documentos de identidade e comprovantes de rendimento falsos para fazer compras em lojas e pedir empréstimo em instituições financeiras.

Com elas, a Polícia Militar encontrou documentos em nome de outras pessoas, além de roupas, calçados e aparelhos de televisão comprados através dos golpes.

Primeira a ser presa, Tatiana foi descoberta pela polícia no momento em que assinava contrato para empréstimo de R$ 10,8 mil usando nome falso. Ela também tentava, em outra instituição financeira, emprestar R$ 70 mil. A proposta já tinha sido apresentava e aguardava aprovação.

De acordo com a ocorrência, Tatiana tentou aplicar golpe em uma agência de empréstimos, no centro de Dourados, usando nome de Amália Saturnino Chaves. Entretanto, no cruzamento de dados o gerente descobriu que os documentos pertenciam a uma pessoa residente em Goiás e chamou a PM.

Os policiais flagraram a mulher se preparando para assinar o contrato. Por várias vezes ela insistiu que seu nome era Amália, mas depois confessou que a identidade era de outra pessoa. Na bolsa dela os policiais encontraram cartões de banco e de lojas em nome de Amália e um holerite em nome de Polyanna Miranda Alves.

Tatiana contou que tinha usado os documentos para pedir o empréstimo de R$ 70 mil e para tentar comprar sofá de R$ 2.199 em loja de móveis. Na casa dela, no Residencial Harrison de Figueiredo II, região sul da cidade, os policiais encontraram TV, roupas, caçados, notas de compra, documento de identidade em nome de Polyanna Miranda Alves, holerites e documentos de empresa administradora de créditos.

Em um dos documentos, os PMs constataram endereço no Jardim Novo Horizonte, região oeste da cidade. Questionada sobre quem morava nesse local, Tatiana afirmou ser Loziane, sua comparsa de golpes, que usava o nome de Alessandra Coelho Rodrigues. Na casa de Loziane os policiais encontraram holerite, conta de telefone e dados cadastrais em nome de Alessandra Coelho Rodrigues.

As duas foram levadas para a Polícia Civil e autuadas em flagrante por estelionato, falsidade ideológica, falsa identidade e associação criminosa. Tatiana tem antecedentes criminais por tráfico de drogas em Campo Grande e por furto qualificado em Dourados.

A prisão em flagrante das duas foi homologada hoje pelo juiz da 1ª Criminal Luiz Alberto de Moura Filho. Ele também manteve as fianças arbitradas pela autoridade policial. Loziane pagou fiança de um salário mínimo e já foi liberada.

Para Tatiana, a 2ª Delegacia de Polícia Civil arbitrou fiança de cinco salários mínimos. Como o valor ainda não foi recolhido, ela continua presa. A polícia explicou que os valores são definidos com base em vários fatores, entre os quais o poder econômico do preso.

Outra presa por estelionato, sendo ouvida na delegacia (Foto: Adilson Domingos)
Outra presa por estelionato, sendo ouvida na delegacia (Foto: Adilson Domingos)