ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 

Interior

Nem multa de R$ 1 milhão assusta e lixões clandestinos se espalham pela cidade

Só neste ano, Guarda Ambiental já fez 42 procedimentos por descarte ilegal de lixo em Dourados

Por Helio de Freitas, de Dourados | 15/06/2021 14:14
Guardas em um dos lixões clandestinos no perímetro urbano de Dourados (Foto: Divulgação)
Guardas em um dos lixões clandestinos no perímetro urbano de Dourados (Foto: Divulgação)

Problema antigo, os lixões clandestinos se espalham pelo perímetro urbano de Dourados, segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul localizada a 233 km de Campo Grande. Os pontos de descartes irregulares se espalham pelo perímetro urbano.

Mesmo com locais específicos criados pela prefeitura para depósito de galhos, de restos de construção e materiais recicláveis, muitos moradores continuam despejando dejetos e produtos inservíveis na margem de ruas e de estradas próximas à cidade.

Nem mesmo a multa prevista em lei municipal e que pode chegar a R$ 1 milhão consegue assustar os “relaxados”. Só neste ano, a Guarda Municipal Ambiental fez 42 fiscalizações sobre descarte irregular de lixo. Em alguns casos houve flagrante no momento em que moradores jogavam os materiais na rua.

A guarda municipal Carmem Paiva Azambuja, que integra o grupo da corporação responsável pela fiscalização ambiental, afirma que existem diversos pontos de descartes irregulares em vias públicas, terrenos baldios e até em reservas ambientais.

Segundo ela, a maior parte do material jogado nos lixões clandestinos é formada por resíduos sólidos, muitos deles recicláveis, mas que vão parar na rua sem qualquer separação.

“Precisamos ser conscientes e buscar informações, pois existem locais corretos para o descarte. Os locais irregulares acumulam resíduos que atraem ratos, moscas, baratas, mosquitos da dengue, animais peçonhentos, além da possibilidade de contaminação do solo e doenças aos seres humanos e animais”, afirmou a GM Paiva.

Em Dourados existe a lei municipal 55, de 19 de dezembro de 2002, que proíbe o descarte irregular de resíduos sólidos. As multas previstas em caso de despejo de lixo em terrenos e vias públicas podem chegar a R$ 400 mil. Se o descarte for em área de conservação ambiental, a multa pode chegar a R$ 1 milhão.

Para tentar coibir os lixões clandestinos, a Guarda Municipal anunciou que está intensificando a fiscalização, principalmente em parques ambientais. Pessoas flagradas fazendo descarte irregular, principalmente grandes volumes de galhos, pneus, papéis, plásticos, eletrônicos ou móveis transportados em veículos e caminhões, serão multadas.

Pontos de descarte – Segundo a Guarda, em Dourados há locais próprios para descarte dos resíduos. O ecoponto da Via Parque, no bairro Cohab II, recebe entulhos, móveis velhos e galhos. A Central de Recicláveis (fundos do Parque Arnulpho Fioravente) recebe plásticos e pneus e o ecoponto do Parque das Nações II, onde fica o picador municipal, recebe galhos e troncos de árvores.

Mais informações podem ser obtidas na Guarda Municipal Ambiental através do telefone (67) 3421-1519 e no Imam (Instituto de Meio Ambiente de Dourados) pelo telefone (67) 3428-4970.

Moradores flagrados por guardas municipais jogando lixo na margem de rua (Foto: Divulgação)
Moradores flagrados por guardas municipais jogando lixo na margem de rua (Foto: Divulgação)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário