ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  08    CAMPO GRANDE 19º

Interior

Nove anos depois, polícia prende homens que assassinaram duas jovens a tiros

Um dos suspeitos estava escondido em sítio do município de Aporé (GO) e o outro no bairro Colinos, em Três Lagoas

Por Maressa Mendonça | 14/07/2020 12:32
Delegacia de Polícia de Três Lagoas (Foto: Albecyr Pedro/Hoje Mais)
Delegacia de Polícia de Três Lagoas (Foto: Albecyr Pedro/Hoje Mais)


Dois homens, de 36 e 28 anos, foram presos pela Polícia Civil na manhã desta terça-feira (15) por crime que cometeram em 2011. Eles são acusados de matar as jovens Genifer da Silva Francisco e Tainara Rafaele Bernandes Inácio, em Três Lagoas, município distante a 339 quilômetros de Campo Grande, em acerto de contas por dívida do tráfico de drogas.

Conforme as informações da Polícia Civil, um dos suspeitos estava escondido em sítio do município de Aporé (GO) e o outro no bairro Colinos, em Três Lagoas. Na casa do pai de um deles foi encontrado um revólver calibre .38, com seis munições.  Por isso, o homem também foi autuado por posse ilegal de arma de fogo, mas liberado após pagar fiança no valor de R$ 1 mil.

O crime aconteceu no dia 20 de novembro de 2011 na Rua Manoel de Oliveira Gomes, Bairro Santa Terezinha, em Três Lagoas. As jovens estavam usando drogas na residência de Tainara, quando os suspeitos chegaram em uma motocicleta e o garupa atirou ao menos quatro vezes. As duas foram atingidas e morreram antes mesmo da chegada do socorro.

Segundo informações divulgadas pelo delegado Ailton Pereira de Freitas, ao que tudo indica o alvo dos criminosos era apenas uma das garotas que estaria devendo dinheiro em uma “boca de fumo”. Os suspeitos também acreditavam que ela havia delatado a localização do ponto de venda de drogas.

Os homens vão responder por duplo homicídio qualificado por motivo fútil e traição, com pena de 12 a 30 anos de prisão.

As prisões ocorreram no contexto da “Operação Thanatos” realizada por Policiais Civis de Três Lagoas, de Inocência e de Cassilândia. Homens da Polícia Militar Ambiental de Cassilândia também participaram.