ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, DOMINGO  23    CAMPO GRANDE 26º

Interior

Operação em área de retomada tem confronto entre policiais e indígenas

Comunidade acusa Polícia Federal de ação ilegal e denuncia ataque com bombas e munições não letais

Por Helio de Freitas, de Dourados | 06/10/2023 13:40


Indígenas resistiram à ação da Polícia Federal para cumprir mandados de busca nesta sexta-feira (6) em área ocupada no entorno da Aldeia Bororó, em Dourados, a 251 km de Campo Grande. Apesar de as buscas terem sido determinadas pela Justiça Federal, a comunidade acusa a PF de ação ilegal (veja o vídeo).

Hoje de manhã, a PF deflagrou a Operação Py'aguapy, para cumprir um mandado de prisão e sete de busca e apreensão em Dourados e Nova Olímpia (MT), no âmbito da investigação sobre o confronto entre indígenas e sitiantes ocorrido no dia 13 de setembro deste ano.

Entretanto, a nota oficial enviada pela assessoria de comunicação da PF em Mato Grosso do Sul não citou a suposta resistência por parte dos indígenas, nem mesmo a necessidade de uso de bombas de gás e munições não letais para controlar a situação. A polícia também não informou se o preso é sitiante ou indígena.

Cápsulas de bombas de gás disparadas durante operação da PF (Foto: Direto das Ruas)
Cápsulas de bombas de gás disparadas durante operação da PF (Foto: Direto das Ruas)

A reportagem apurou que os mandados foram cumpridos nos sítios localizados na área reivindicada pelos indígenas, na região oeste do município de Dourados, e também na aldeia. Moradores próximos relataram terem ouvido tiros quando as viaturas entraram na área ocupada pelos guarani-kaiowá.

“Tekoha Avaeté, município de Dourados (MS) Hoje, dia 6 de outubro de 2023, sexta-feira, às 8h30, chegou Tropa de Choque conduzida pela Polícia Federal e atacou nós aqui (sic), tirando nosso celular e tentando no matar. Aqui estão as fotos e cápsulas. A professora Teodora chegou depois e também não sabe porque que a Polícia Federal atirou na gente”, afirma texto distribuído junto com imagens por entidades de defesa dos povos indígenas.

O Campo Grande News procurou a assessoria da PF e aguarda resposta. Na nota sobre a operação, a Polícia Federal havia informado que a investigação, ainda em andamento, começou após o conflito de 13 de setembro, com indícios de utilização de armas de fogo e armas de fabricação artesanal, como flechas, armas brancas e “coquetel molotov”. A área é palco de confrontos entre sitiantes e indígenas desde 2018.

Indígena mostra ferimento na mão durante ação da PF em aldeia (Foto: Direto das Ruas)
Indígena mostra ferimento na mão durante ação da PF em aldeia (Foto: Direto das Ruas)

Receba as principais notícias do Estado pelo WhatsApp. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias