A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 15 de Setembro de 2019

22/08/2019 19:08

Paciente ofende equipe em UPA, é agredido a tapas e contido por guarda

Fato foi registrado por outros usuários em vídeo e distribuído em redes sociais; Guarda Municipal apura o caso

Humberto Marques e Helio de Freitas, de Dourados
Pacientes gravaram momento em que homem acusado de ofender funcionários foi agredido e contido por guardas. (Foto: Direto das Ruas)Pacientes gravaram momento em que homem acusado de ofender funcionários foi agredido e contido por guardas. (Foto: Direto das Ruas)

Serviços prestados na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Dourados –a 233 km de Campo Grande– foram marcados por tumulto, ameaças e agressão ao suposto autor de ofensas contra funcionários e guardas municipais na noite de quarta-feira (21). Vídeo registrando o incidente foi gravado por outros usuários da unidade e distribuídos por aplicados de mensagens e em redes sociais, mostrando o paciente apanhando do agente de segurança. A corporação douradense apura o episódio.

A gravação mostra um homem gritando contra uma equipe formada por três guardas municipais e, em determinado momento, é alvo de investida e golpes, até ser. Gritos como “vai me bater?”, “respeita o cidadão, você tá sendo filmado” e do suposto agressor, relatando que sua cabeça estava “aberta” integram o material.

A ocorrência também foi registrada pela guarnição da guarda municipal douradense na Polícia Civil. Conforme o registro, por volta das 19h30 de quarta-feira, a equipe, que presta serviços no terminal rodoviário da cidade, fazia rondas na Rua Coronel Ponciano, ao ser acionada por uma técnica de enfermagem que relatou a presença de um cidadão exaltado, “gritando e xingando” um dos médicos e outros enfermeiros na área vermelha da UPA.

No local, o homem foi avistado gritando na rua e se deslocando até a recepção. Ele teria sido interrogado e, “de forma agressiva, empurrou e desferiu dois tapas” contra um dos guardas. Tal fato teria motivado “o uso de força para imobilizar e o uso de algemas no mesmo”, narra o registro policial, que ainda apontou indícios de que o suspeito estava embriagado.

Ainda segundo a ocorrência, após a imobilização constatou-se o ferimento na cabeça do paciente, que foi levado para sutura. Mais calmo, ele relatou que o ferimento era resultado de uma pedrada que levou de um desafeto. Ele foi medicado e liberado pelo médico. Já o profissional que havia sido alvo das ofensas descartou representação criminal contra o denunciado, que foi liberado.

Apuração – O comandante da Guarda Municipal de Dourados, Divaldo Machado de Menezes, informou ao Campo Grande News que, na manhã desta quinta-feira (22) chamou o agente que teria efetuado as agressões para obter informações sobre o ocorrido. Nesta sexta (23) será solicitada imagem da câmera de segurança da UPA para analisar o caso.

O guarda relatou que testemunhas também confirmam agressões contra ele. “Porém, a imobilização sem ter de responder à mesma altura é o que é orientado. Mesmo que os ânimos estão exaltados e a adrenalina sobe, acaba saindo desta forma que ocorreu”, disse o comandante, que reiterou apuração do episódio. A reportagem não conseguiu localizar o paciente.

Confira abaixo o vídeo do episódio:



O Código Deontológico do Serviço Policial: «Artigo 8.º (Adequação, necessidade e proporcionalidade do uso da força)

1. Os membros das Forças de Segurança usam os meios coercivos adequados à reposição da legalidade e da ordem, segurança e tranquilidade públicas só quando estes se mostrem indispensáveis, necessários e suficientes ao bom cumprimento das suas funções e estejam esgotados os meios de persuasão e de diálogo.

Estritamente necessário, indispensável...? Era estritamente necessário estrangular o cidadão (sendo que se trata de uma manobra que integra necessariamente, ainda que realizada por pessoa treinada, perigo para a vida)? Obviamente que não.

Fica evidente a truculência, soberba, arrogância e despreparo da GCM.

Lamentável a ação e omissão por parte do ente público!
 
JUSPATIENTIA em 23/08/2019 09:16:53
Guardinhas covardes!! O cidadão apenas se recusou em se identificar!! nada justifica o fato do folgado agredir! Isso prova o desespero desses servidores!! E ai vem falar que “Porém, a imobilização sem ter de responder à mesma altura é o que é orientado. Mesmo que os ânimos estão exaltados e a adrenalina sobe, acaba saindo desta forma que ocorreu” Prova o despreparo desses servidores!! ( Se prestar atenção no vídeo vai ver que o guardinha, passa alguma coisa para o outro no momento que segura o cidadão!! O que será que pode ser ??? Alguém sabe ???
 
Clebe PL em 23/08/2019 08:33:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions