A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

28/03/2019 18:01

Pais são presos por suspeita de espancar bebê de 3 meses

Casal nega ter espancado a criança; segundo a mãe, bebê apresenta problemas de saúde desde o nascimento e já procurou ajuda médica diversas vezes

Liniker Ribeiro

A Polícia Civil de Camapuã – município a 133 quilômetros da Capital – investiga lesões sofridas por um bebê de três meses para saber se os ferimentos, incluindo fratura na clavícula, foram provocados intencionalmente ou por acidente. Os pais da criança, com idades entre 20 e 30 anos, foram presos na quarta-feira (27) e ocupam uma das celas da delegacia da cidade, onde aguardam uma nova decisão da Justiça.

Segundo a Polícia Civil local, o mandado de prisão preventiva foi expedido pelo juiz Fábio Henrique Calazans Ramos, da 1ª Vara, após denúncia do Conselho Tutelar. Exames de corpo de delito serão realizados para apurar a situação.

Conforme a polícia, no dia anterior a prisão, a criança deu entrada no hospital da cidade com lesões pelo corpo. De acordo com o rapaz, que assumiu a paternidade da criança após conhecer a mulher quando estava grávida de dois meses, ele trocava a fralda do bebê, quando ela começou a convulsionar. Em depoimento, o homem afirmou ainda que gritou a mãe da criança e começou a fazer massagem cardíaca, com a mão inteira no tórax.

Um mototaxista chegou ao local e começou a ajudar o rapaz. Para a polícia, o homem chegou a dizer que “se ele não tivesse chegado a tempo, ele [o pai] teria matado a criança”.

A mãe, que também foi alvo de denúncias, teria negado qualquer maldade contra sua filha. A jovem ainda estaria emocionada até o momento, perguntando o tempo todo pelo bebê. Segundo ela, eles moravam em Costa Rica – a 305 quilômetros da Capital – quando a criança nasceu. Em apenas alguns dias de vida, a menina chegou a apresentar manchas pelo corpo e foi teria sido levada quatro vezes ao hospital.

Como os pais trabalhavam em fazenda e precisavam faltar para ir ao médico, a mulher informou que chegaram a perder o emprego. Após isso, o casal se mudou para Camapuã, onde a criança já teria sido levada outras duas vezes ao médico.

Ainda segunda a polícia, o bebê também foi trazido para Campo Grande, onde teria ficado internado por 12 dias no Hospital Regional. Esta semana, após os novos ferimentos, a criança foi trazida novamente para a Capital, estando internada na Santa Casa.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions