ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Para impedir drones, Sejusp quer instalar tela em presídios de MS

Ideia está mais avançada em Dourados, onde ocorreram quatro sobrevoos de drones nos últimos meses e três foram abatidos

Por Helio de Freitas, de Dourados | 01/02/2018 15:48
Penitenciária de Dourados, onde facções usam drones para tentar enviar armas e drogas a internos (Foto: Lillian Rech/TV RIT)
Penitenciária de Dourados, onde facções usam drones para tentar enviar armas e drogas a internos (Foto: Lillian Rech/TV RIT)

A Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública) estuda instalar telas sobre os presídios de Mato Grosso do Sul para impedir a entrada de drogas e armas através de drones, pequenos veículos aéreos operados por controle remoto que se tornaram conhecidos em todo o país.

A ideia é colocar as telas nos principais presídios estaduais, mas o projeto está mais avançado em Dourados, a 233 km de Campo Grande, onde quatro drones foram vistos sobrevoando a PED (Penitenciária Estadual de Dourados) nos últimos meses.

Três foram abatidos a tiros pelos policiais que fazem a vigilância nas torres da muralha – dois deles em janeiro deste ano. O quarto drone fez sobrevoo na penitenciária, mas não chegou a tentar o pouso.

Ao Campo Grande News, a Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública confirmou nesta semana que o uso de telas pode ser o meio mais eficaz para evitar os veículos não tripulados, mas informa que outras medidas também estão sendo adotadas. Além disso, todas as equipes de vigilância estão orientadas a abater os drones vistos sobrevoando nos arredores das penitenciárias.

“Está sendo feito um levantamento com objetivo de verificar a viabilidade da implantação de telas sobre os pátios das unidades prisionais, além de estudo para identificar as tecnologias existentes capaz de detectar a aproximação das pequenas aeronaves de locais de segurança”, informou a Sejusp.

Através da assessoria de imprensa, o secretário Antonio Carlos Videira informou que o problema já foi abordado em reuniões do Colégio dos Secretários de Segurança na busca de alternativas para coibir os drones sobre presídios.

Drone avaliado em R$ 20 mil derrubado pela PM no dia 14 de janeiro (Foto: Divulgação)
Drone avaliado em R$ 20 mil derrubado pela PM no dia 14 de janeiro (Foto: Divulgação)

Dourados – De acordo com a Sejusp, em Dourados, a Agepen (Agência de Administração do Sistema Penitenciário) iniciou conversa com o conselho de segurança da comunidade para instalação telas sobre a PED, para evitar produtos arremessados por drones para o interior do estabelecimento penal.

“É importante ressaltar que o governo do Estado está realizando investimentos para reforçar a segurança das unidades prisionais do Estado, com a aquisição de aparelhos de raio x, scanneres corporais, bloqueadores de voz e dados, além da contratação de novos agentes penitenciários”, informo a Sejusp.

Casos recentes – Dois drones foram derrubados a tiros em janeiro deste ano na PED. O primeiro caso ocorreu no dia 14, quando um equipamento avaliado em R$ 20 mil sobrevoava o presídio carregando uma sacola.

Os policiais da vigilância externa acertaram o equipamento com tiros de fuzil. O drone caiu a 200 metros do presídio. Um homem não identificado conseguiu pegar a sacola e fugir, mas abandonou o equipamento.

No dia 20, outro drone foi visto por agentes penitenciários pelas câmeras de vigilância. O equipamento, menor que o anterior, bateu na grade que protege o entorno da penitenciária e em seguida os policiais militares das torres derrubaram o drone a tiros.

De acordo com a Agepen, o eletrônico tinha como destino o pavilhão 2 da PED, onde ficam presos ligados a facções criminosas. Não foi revelado que tipo de material estava sendo carregado pelo drone.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário