ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 23º

Interior

Paraguai decreta fechamento total de suas fronteiras até domingo

Medida atinge os 500 quilômetros de fronteira com Mato Grosso do Sul; paraguaios só poderão regressar ao país a partir do dia 29

Por Helio de Freitas, de Dourados | 24/03/2020 14:58
Bloqueio feito com pneus e terra entre Capitán Bado e Coronel Sapucaia (Foto: Capitán Bado.com)
Bloqueio feito com pneus e terra entre Capitán Bado e Coronel Sapucaia (Foto: Capitán Bado.com)

O Paraguai vai fechar totalmente suas fronteiras, portos e aeroportos de 0h desta quarta-feira até domingo (29) por causa da pandemia do novo coronavírus. A medida, anunciada pelo ministro do Interior Euclides Acevedo e pela chefe da Direção de Migrações María de los Ángeles Arriola, vale também para os 500 quilômetros da Linha Internacional com Mato Grosso do Sul e afeta diretamente cidades como Bela Vista, Ponta Porã, Coronel Sapucaia, Paranhos e Sete Quedas.

De acordo com Arriola, a ordem do presidente Mario Abdo Benítez é para bloqueio total. Paraguaios regressando ao país poderão entrar a partir de domingo, mesmo assim ficarão de quarentena e serão submetidos a exames para detectar a Covid-19.

María Arriola disse que os 13 postos fronteiriços habilitados para a entrada de pessoas e mercadorias permanecerão fechados e protocolos de prevenção serão aplicados aos paraguaios que retornam ao país. Mercadorias de primeira necessidade poderão entrar, mas serão transportadas por pessoal autorizado.

"O fechamento total das fronteiras e dos aeroportos foi determinado para impedir temporariamente, mas estritamente, a entrada de pessoas que vêm do exterior, exceto as mercadorias e produtos necessários para a subsistência e o comércio", informou Euclides Acevedo em coletiva de imprensa. “O bicho não vem só pelo ar, vem também por água e por terra”, disse ele sobre o vírus.

Sobre o departamento de Amambay, cuja capital é Pedro Juan Caballero, Arriola disse que os acessos estão vigiados por 40 bloqueios do Exército e da FTC (Força-Tarefa Conjunta).

Acevedo e Arriola informaram que após o bloqueio total, o governo vai abrigar os cidadãos paraguaios que desejarem regressar. Eles serão colocados em acomodações nas áreas de fronteira com despesas pagas pelo Estado e vão ficar nesses locais durante a quarentena. “As forças de segurança farão fileiras para aplicar drasticamente o protocolo de saúde. É uma questão de vida, uma semana de sacrifício”, afirmou o ministro.

Arriola informou que de 16 a 22 de março, 8.251 pessoas entraram no Paraguai, através dos diferentes postos fronteiriços. Esse grande número provocou temor entre os demais cidadãos do país. As medidas anunciadas hoje aumentam a série de restrições adotadas pelo Paraguai para conter a pandemia. Até hoje de manhã, o país vizinho tinha 27 casos confirmados e duas mortes por Covid-19.