ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  20    CAMPO GRANDE 20º

Interior

Paraguai prende dupla suspeita de participar da execução de Rafaat

Renato Signoretti e Mario Sergio Amaral Flores foram presos com o carro que usaram para levar ao hospital o brasileiro que manuseou a metralhadora usada para matar o chefão do narcotráfico

Helio de Freitas, de Dourados | 24/06/2016 18:43
Renato Signoretti (à direita) e o paraguaio Mario Flores foram presos hoje (Foto: Leo Veras)
Renato Signoretti (à direita) e o paraguaio Mario Flores foram presos hoje (Foto: Leo Veras)
Golf usado para levar pistoleiro ao hospital levou polícia aos dois suspeitos (Foto: Leo Veras)
Golf usado para levar pistoleiro ao hospital levou polícia aos dois suspeitos (Foto: Leo Veras)

Dois homens suspeitos de participação no ataque ao narcotraficante Jorge Rafaat Toumani, na semana passada, foram presos nesta sexta-feira (24) na região de Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande.

O brasileiro Renato Signoretti, 36, residente em Ponta Porã, e o paraguaio Mario Sergio Amaral Flores, 42, estavam em um Golf branco, placa LRA-7689, de Ponta Porã, usado para levar ao hospital de Pedro Juan, na noite de 15 deste mês, o brasileiro Sérgio Lima dos Santos, ex-soldado do Exército Brasileiro que manuseou a metralhadora antiaérea calibre 50, usada para perfurar a blindagem do Hummer blindado de Rafaat.

Sérgio Lima dos Santos foi ferido a tiros pelos guarda-costas de Rafaat e abandonado no hospital de Pedro Juan Caballero. Depois foi transferido para um hospital da cidade de Fernando de La Mora, a 9 km de Assunção, onde permanece internado sob escolta de policiais paraguaios.

De acordo com jornalistas da fronteira, Renato Signoretti é casado com a filha do traficante paraguaio Jarvis Chimenes Pavão, ex-sócio de Rafaat e suspeito de ter participado da trama para eliminar o chefe do narcotráfico na Linha Internacional.

Conforme os policiais que fizeram a prisão dos suspeitos, o Golf branco em que eles estavam foi gravado pelas câmeras do serviço interno de vigilância do hospital no momento em que deixavam Sérgio dos Santos, minutos após o ataque a Rafaat.

Signoretti negou envolvimento com o caso e disse ter comprado o Golf há uma semana e preparava a documentacao para fazer a transferência, informou foi o subcomissário Mario Quiñónez, da Polícia Nacional.

Nos siga no Google Notícias