A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018

24/06/2016 14:29

Segurança de Rafaat era procurado por dois atentados a tiros, diz polícia

É a segunda pista da ligação do chefão no narcotráfico morto na semana passada a crimes de execução ocorridos na fronteira

Helio de Freitas, de Dourados
Marcio Sanchez foi ferido a tiros no ataque ao patrão e agora está preso (Foto: Divulgação)Marcio Sanchez foi ferido a tiros no ataque ao patrão e agora está preso (Foto: Divulgação)

Marcio Ariel Sanchez, um dos guarda-costas do empresário Jorge Rafaat Toumani e que ficou ferido no ataque resultou na morte do patrão, na noite de 14 de junho, era procurado pela polícia do Paraguai por duplo assassinato e uma tentativa de homicídio, crimes ocorridos em Pedro Juan Caballero, onde o barão no narcotráfico foi executado a tiros de metralhadora antiaérea calibre 50, na noite de quarta-feira da semana passada.

Sem poder fugir do local onde o patrão foi morto, porque também ficou ferido a tiros, Sanchez foi detido e levado para a prisão de Pedro Juan Caballero. Segundo o jornal paraguaio Última Hora, ele se recuperou rapidamente dos ferimentos à bala.

Através de dados coletados no sistema que reúne pessoas procuradas pela polícia, agentes da Polícia Nacional descobriram que as características de Sanchez correspondem ao acusado por um assassinato e uma tentativa de homicídio, ocorridos no dia 11 de maio deste ano.

As vítimas de Marcio Sanchez foram os paraguaios Fabio Ramon Zarza Lezcano, 24, e René Sartorio, 22, com várias passagens pela polícia do país vizinho. Os dois estavam sentados em frente a uma residência no bairro Obrero, em Pedro Juan Caballero, quando foram mortos por três pistoleiros em uma Hyundai Santa Fé preta.

Quando viram o carro, os dois tentaram correr, mas foram executados com vários disparos de fuzil AK-47 calibre 7,62. Armas semelhantes eram usadas pelos seguranças de Rafaat na noite da execução do narcotraficante. Sartorio chegou a ser levado ao hospital regional da cidade, mas morreu logo em seguida.

Conforme o jornal paraguaio, Sanchez também esteve envolvido na tentativa de assassinato do comerciante e piloto de avião Fernando Olmedo Calonga, 37, atacado por ocupantes de um Kia Picanto quando estava em frente de um prédio de apartamentos de Pedro Juan, no dia 11 de setembro de 2015. Ele levou dois tiros na cabeça, mas sobreviveu.

Piloto de Jarvis – O suposto envolvimento de Sanchez em dois atentados à bala ocorridos nos últimos meses em Pedro Juan é a segunda ligação de gente de Jorge Rafaat com crimes de execução na fronteira.

Na terça-feira, o jornal Última Hora já revelado, citando fontes da polícia paraguaia, que um fuzil AK-47 de fabricação russa, encontrado com um dos seguranças do narcotraficante, teria sido usado para tentar matar Jorge Enrique Fernandez, 24, piloto de avião que supostamente fazia o transporte de drogas para o ex-sócio de Jorge Rafaat, Jarvis Chimenes Pavão, está preso há sete anos em Assunção, capital paraguaia.

A ligação foi comprovada através do sistema integrado de balística e identificação (sigla Ibisen, em Inglês), que revela uma espécie de impressão digital deixada pelas balas disparadas. Fernandez foi atacado a tiros na noite de 17 de maio deste ano no centro de Pedro Juan Caballero, mas sobreviveu.

Jarvis Pavão é apontado como um dos suspeitos de planejar, junto com bandidos brasileiros, a execução de Rafaat, para assumirem o controle do crime organizado na fronteira.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions