ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 16º

Interior

PF cumpre mandado em MS contra esquema de corrupção bilionário

Mandado de busca foi cumprido na casa de advogado que trabalhava em escritório em Fortaleza (CE)

Por Helio de Freitas, de Dourados | 20/05/2022 09:02
Viatura da PF quando retornava de residência de advogado onde cumpriu mandado. (Foto: Adilson Domingos)
Viatura da PF quando retornava de residência de advogado onde cumpriu mandado. (Foto: Adilson Domingos)

Investigação da Polícia Federal sobre esquema bilionário envolvendo juízes e grandes devedores da União tem um alvo em Mato Grosso do Sul. Nesta sexta-feira (20), mandado de busca e apreensão foi cumprido pela PF em Dourados, a 233 km de Campo Grande.

As buscas foram feitas na residência de um advogado e foram acompanhadas pela Comissão de Prerrogativas da 4ª Subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Nada foi apreendido no local, segundo apurou o Campo Grande News.

A reportagem apurou ainda que o advogado alvo do mandado fez estágio em escritório de advocacia em Fortaleza (CE). Esse escritório faz parte da investigação. O nome do advogado douradense não foi revelado.

Além de Dourados, a Operação Skiagraphia, deflagrada hoje pela PF, cumpriu 19 mandados de busca em apreensão em Fortaleza, São Paulo (SP), Recife (PE) e Brasília.

O suposto esquema de corrupção bilionário envolve a participação de juízes federais, advogados, servidores públicos e empresários e beneficiou grandes devedores da União através de decisões judiciais. As buscas foram determinadas pelo TRF (Tribunal Regional Federal) da 5ª Região (Recife).

Segundo a Polícia Federal, o esquema envolve condução ilícita de processos fiscais de grandes devedores da União entre 2012 e 2016. Através da atuação de empresários, advogados e juízes, o esquema causou prejuízo bilionário aos cofres da União.

Ainda conforme a PF, as investigações começaram em 2019. Em três anos, o trabalho já encontrou indícios de vínculos suspeitos entre magistrados e advogados, fluxo financeiro suspeito e falsificação de documentos com simulação de intimações da União.

A operação recebeu o nome de Skiagraphia em referência à técnica de pintura “shadow painting”, que dá ilusão de profundidade pelo contraste entre sombra e luz. “Com isso, os investigados simulavam estar à luz do caminho público, mas na verdade, se encontravam às sombras da lei”, afirma a PF.

Nos siga no Google Notícias