ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 28º

Interior

Piloto procurado pela Interpol é preso pela polícia paraguaia

Ronier Sánchez Alonso, de 44 anos, levava drogas de cartéis do México e Colômbia para os Estados Unidos

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 25/03/2021 20:51
Ronier Sánchez entre dois policiais da Senad. (Foto: Direto das Ruas)
Ronier Sánchez entre dois policiais da Senad. (Foto: Direto das Ruas)

O mexicano Ronier Sánchez Alonso, de 44 anos, um dos pilotos de drogas mais procurados Interpol foi preso nesta quinta-feira (25) por policiais da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) em Assunção, Capital do Paraguai. Ronier trabalhava para cartéis no México e na Colômbia e era responsável por transportar grandes carregamentos de drogas nos Estados Unidos.

Ele foi alvo de várias investigações nos Estados Unidos e é acusado de conspiração e tráfico internacional por via aérea, desde áreas de produção de cocaína na América do Sul até centros de redistribuição na América Central e no Caribe, controlados por cartéis mexicanos. O foragido utilizava aeronaves com capacidade para transporte de 1,5 mil a 2 mil quilos de drogas por voo. Ele levou a droga de países como Colômbia, Equador, Bolívia ou Peru.

Ronier estava escondido no Brasil desde 2016, após um pouso forçado na Venezuela a bordo de uma aeronave a jato registrada nos Estados Unidos, que estava sendo usada para transportar cerca de duas toneladas de cocaína.

Sánchez foi para o Paraguai no dia 22 de março deste ano pelo Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi, aparentemente com passaporte falso. Ele foi ao país vizinho para comprar uma aeronave do tipo jato, que provavelmente seria usada para o tráfico.

Contudo, nesta quinta-feira (25) ele foi encontrado no Bairro Murucuyá em Assunção, graças a troca de informações entre as Instituições e Agências de Segurança Nacionais e Internacionais, Agentes Especiais da SENAD, sob coordenação do departamento de justiça dos Estados Unidos e do Ministério Público do Paraguai. Ronier era alvo de alerta vermelho da Interpol e será extraditado para os Estados Unidos da América.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário