ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUINTA  17    CAMPO GRANDE 19º

Interior

Polícia caça celular de mulher que foi degolada e depois jogada em milharal

A vítima, Fernanda Daniele de Paula Ribeiro dos Santos, de 36 anos, era solteira e morava sozinha

Por Marta Ferreira | 30/04/2021 13:45
Fernanda Daniele foi encontrada morta com corte profundo no pescoço, jogada em milharal. (Foto: Reprodução das redes sociais)
Fernanda Daniele foi encontrada morta com corte profundo no pescoço, jogada em milharal. (Foto: Reprodução das redes sociais)

O assassino de Fernanda Daniele de Paula Ribeiro dos Santos, 36 anos, encontrada degolada em um milharal à beira da MS-276, entre Batayporã e Nova Andradina, tratou de sumir com o celular dela, para dificultar as investigações da morte. Essa é uma das suspeitas sob investigação da Polícia Civil, já que o aparelho não foi encontrado.

Havia pertences da vítima próximo do corpo, achado na quinta-feira (29, mas o celular não estava.

Pelo menos oito pessoas do convívio de Fernanda já foram ouvidas entre a identificação do cadáver, na tarde de ontem, e hoje. Por ora, nenhuma linha de investigação é descartada, desde feminicídio a um crime por algum tipo de vingança.

Entre as pessoas que já depuseram, estão familiares, como a mãe e o padrasto.

A vítima morava sozinha, segundo apurado pela reportagem. Era solteira e sem filhos.

Um dos caminhos do trabalho de persecução ao assassino passa pelos contatos dela nos últimos dias, que estão sendo rastreados.

Local onde foi achado o corpo de Fernanda, na quinta-feira. (Foto: Nova News)
Local onde foi achado o corpo de Fernanda, na quinta-feira. (Foto: Nova News)

O corpo passou por exames no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) de Dourados e, até o fechamento desse texto, ainda não havia sido liberado para sepultamento em Nova Andradina.

Ex-presidente do PSL na cidade de Nova Andradina, Fernanda havia renunciado ao cargo em setembro de 2020.

Participou ativamente da campanha do atual prefeito da cidade, Gilberto Garcia, que é do PR.  Nas redes dela, é possível ver fotos com o eleito.

Não foi possível identificar se ela tem filiação a uma outra legenda.

O delegado Filipe Davanso Mendonca, de Batayporã, onde o caso foi registrado, disse que está em meio às diligências e, por ora, as hipóteses estão em aberto.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário