A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 15 de Setembro de 2019

07/09/2019 12:26

Polícia descobre quadrilha que furtava carros locados e vendia na Bolívia

Grupo alugava carros de empresas de SP, PR e MG e vendia no país vizinho; em uma semana, três arrastadores foram presos

Silvia Frias
Condutor deveria ter passado com veículo ontem, mas preferiu viajar hoje, acreditando ser mais fácil (Foto/Divulgação)Condutor deveria ter passado com veículo ontem, mas preferiu viajar hoje, acreditando ser mais fácil (Foto/Divulgação)

Equipe da PM (Polícia Militar) que presta serviço à Receita Federal em Corumbá prendeu homem que tentava levar HB20 alugado para Bolívia. Essa foi a terceira prisão em uma semana escancarando um esquema de venda ilegal no país vizinho.

A prisão aconteceu hoje de manhã, às 6h, no Posto Esdras, em Corumbá, na região de fronteira do Brasil com a Bolívia. O rapaz confessou que levaria o veículo para o país vizinho. Ele
deveria ter passado ontem com outros dois comparsas que levavam dois Jeep Compass, porém, ficou com receio de cair na fiscalização e resolveu ir hoje, acreditando que seria mais fácil.

O condutor detido disse que pegou o carro, um HB20 com placas de Belo Horizonte (MG), em um posto de combustíveis de Campo Grande. O contato, que não soube identificar, disse que o veículo deveria ser levado para Corumbá.

A PM informou que a quadrilha dividia-se em quatro funções: os responsáveis pelas locações, os que removiam os rastreadores, os que distribuíam os veículos e a última fase, a dos arrastadores que levavam para a Bolívia. O grupo usava principalmente estradas de assentamentos e evitava as rotas paraguaias, mais fiscalizadas.

De acordo com a PM, o homem disse que recebia informações pelo caminho, indicando qual rota deveria seguir. Esses contatos foram feitos em Terenos, Miranda e Corumbá, até que ele encontrou os dois comparsas.

De acordo com a PM, o bando mandava o carro para Bolívia e, depois da passagem, relatava o furto ou roubo para a locadora de carro. O golpe era aplicado em empresas de São Paulo, Paraná e Minas Gerais. No esquema, eles usavam até a família (esposa e filhos) para facilitar a passagem de veículos mais caros, como Toyota Corolla, Hilux ou Jeep, com objetivo de despistar a fiscalização.

O homem preso disse que o HB20 seria o quarto veículo que ele levaria para a Bolívia. Outros dois integrantes da quadrilha já tinham sido presos: na quarta-feira passada, que levava um Prisma e outro no dia 27 de agosto, que foi preso na volta, depois de ter vendido um Fiat Toro. O homem estava com R$ 10 mil pela venda do veículo e havia recebido R$ 1 mil pelo serviço.

Os detidos vão responder por receptação e ainda estão sendo investigados pela formação de quadrilha. O caso ainda se enquadra como apropriação indébita.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions