ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  21    CAMPO GRANDE 18º

Interior

Policial civil que tentou matar ex da namorada a tiros é demitido do cargo

O investigador da Polícia Civil, Sandro Adriano Trindade era lotado em Coronel Sapucaia quando tentou matar homem a tiros, em 2017

Por Silvia Frias e Marta Ferreira | 13/08/2020 12:02
Sérgio Adriano Trindade era lotado na delegacia de Coronel Sapucaia na época do crime (Foto/Divulgação/Jornal Conesul)
Sérgio Adriano Trindade era lotado na delegacia de Coronel Sapucaia na época do crime (Foto/Divulgação/Jornal Conesul)

O investigador da Polícia Civil Sérgio Adriano Moraes Trindade foi demitido da função, em plena aplicada pela Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública) e publicada hoje no Diário Oficial do Estado. Trindade responde a processo por tentativa de homicídio, quando tentou matar o ex da namorada dele, em 2017, em Coronel Sapucaia.

A demissão foi assinada pelo titular da Sejusp, Antonio Carlos Videira, válida a partir de 11 de agosto, referente a processo administrativo disciplinar. A informação apurada pela reportagem é que a decisão é consequência do processo de tentativa de homicídio.

Na época do crime, Trindade era lotado na delegacia de Coronel Sapucaia, a 399 quilômetros de Campo Grande. A tentativa de homicídio aconteceu no dia 3 de dezembro de 2017. O alvo do crime era o ex da então namorada dele, com quem a mulher manteve relacionamento por quatro anos.

O agora ex-policial usou o carro da namorada para perseguição. O veículo da vítima foi atingido, mas o homem não ficou ferido. Durante as investigaçãoes, Trindade foi reconhecido por ele.

No processo conta que no dia 16 de novembro daquele ano, um mês antes do crime, a namorada do servidor relatou que a casa dela foi alvo de tiros e suspeitava que Trindade fosse o autor dos disparos.

Em maio de 2019, investigado pela Corregedoria da PC, teve mandado de prisão expedido, mas ele entrou de ferias e se refugiu no Paraguai. Monitorado, foi preso no dia 9 de maio, quando foi no município de Coronel de Freitas (SC) e levado posteriormente para presídio em Chapecó. Hoje, está em liberdade.