ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 23º

Interior

Presidente da Câmara diz que "cala boca" de 3 mil era pago a vereadores

Ainda nesta segunda, o presidente da Câmara vai dar posse para o vice-prefeito, Iranil Soares (PSDB) e mais sete suplentes

Por Viviane Oliveira | 26/11/2018 10:06
Movimentação do Gaeco na delegacia da cidade (Foto: Ricardo Albertoni/Diário Corumbaense)
Movimentação do Gaeco na delegacia da cidade (Foto: Ricardo Albertoni/Diário Corumbaense)

O presidente da Câmara de Ladário, Fábio Peixoto de Araújo Gomes (PTB) e mais dois vereadores - que colaboram com as investigações - chegaram a receber R$ 3 mil do prefeito Carlos Anibal Ruso Pedrozo (PSDB) para não “abrirem a boca”.

O chefe do Executivo, o secretário municipal de Educação, Helder Naulle Paes, e os sete dos onze vereadores da cidade foram presos nesta manhã durante operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) que investiga esquema conhecido como "mensalinho".

Em entrevista ao Campo Grande News, o parlamentar contou que desde março, quando protocolou denúncia e passou a colaborar com a investigação do Ministério Público, ele e os vereadores Daniel Benzi (MDB) e Jonil Júnior Gomes Barcelos (PP) chegaram a receber do prefeito R$ 3 mil para evitar denúncias sobre a administração de Ruso. Dinheiro pago aos outros vereadores, que compactuavam com o chefe o Executivo. “Ele não queria que o nosso serviço fosse feito”, conta. Cada vereador recebe salário em torno de R$ 6 mil.

Ainda nesta segunda, o presidente da Câmara vai dar posse para o vice-prefeito, Iranil Soares (PSDB) e mais sete suplentes. Os vereadores presos são: Augusto de Campos, Lília Maria de Vilavalva de Moraes Silva, Paulo Rogério Feliciano Barbosa, Osvalmir Nunes da Silva, André Franco Caffaro, Agnaldo dos Santos Silva Junior e Vagner Gonçalves.

Eles, conforme o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), são investigados pela prática dos crimes de associação criminosa, corrupção ativa e corrupção passiva no Legislativo e no Executivo da cidade. Os mandados de prisão, suspensão do exercício de mandatos e de cargo público no município foram determinados pelo Desembargador Emerson Cafure, da Seção Especial Criminal do Tribunal de Justiça. 

Nos siga no Google Notícias