ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUINTA  17    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Secretário de Saúde cobra leitos de UTI, mas é rebatido pela prefeitura

Para assessoria de Alan Guedes, cobrança de Geraldo Resende “causa certa estranheza”

Por Helio de Freitas, de Dourados, e Guilherme Correia | 10/05/2021 15:29
Alan Guedes no Hospital da Vida, onde novos leitos de UTI estão sendo instalados (Foto: Divulgação)
Alan Guedes no Hospital da Vida, onde novos leitos de UTI estão sendo instalados (Foto: Divulgação)

O secretário estadual de Saúde Geraldo Resende criticou hoje (10) a demora do município de Dourados em ativar novos leitos de UTI para pacientes infectados pela covid-19. Há quase 50 dias o município está com 100% de ocupação dos leitos de terapia intensiva e ontem tinha 14 pessoas na fila de espera.

Com 28.463 moradores já infectados pelo novo coronavírus, Dourados chegou hoje a 448 mortes provocadas pela doença. Outros 257 pacientes residentes em cidades da região também morreram de complicações da covid-19 enquanto estavam internadas em hospitais douradenses.

“Quero pedir aqui em público, mais uma vez, ao município de Dourados a ativação imediata de 10 leitos de UTI no Hospital da Universidade Federal da Grande Dourados, tendo em vista que nós conquistamos os equipamentos, doação da Suzano Celulose, afirmou Geraldo.

Segundo ele, há pelo menos 60 dias a Secretaria Estadual de Saúde conversa com o município de Dourados, mas ainda não conseguiu avançar para colocar esses leitos à disposição da população.

“O município de Dourados diminuiu sem comunicação prévia à Secretaria de Estado de Saúde o número de leitos do Hospital da Vida. Dos 20 leitos do Hospital da Vida, fechou intempestivamente, de forma inexplicável, 8 leitos no sábado à noite e ontem nós tivemos muitas dificuldades na regulação [de pacientes] de Dourados”, declarou.

Em nota encaminhada ao Campo Grande News pela assessoria de imprensa do prefeito Alan Guedes (PP), a prefeitura rebateu Geraldo Resende e considerou “estranha a declaração do secretário.

“A Prefeitura de Dourados informa que apesar da doação dos equipamentos, a pactuação entre as partes não foi assinada. Sem a formalização, não é possível avançar com a abertura de leitos. Essa cobrança do secretário Geraldo Resende causa certa estranheza, já que o documento de formalização ainda não assinado”.

Em relação aos leitos do Hospital da Vida, que segundo Geraldo foram desativados no fim de semana, a Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde) – órgão da prefeitura que administra a unidade – informou que no sábado e domingo foram bloqueados oito leitos da UTI Covid D, fato informado ao diretor do Componente Municipal do Complexo Regulador de Dourados por meio de ofício.

“A medida foi necessária para que se evitasse a desassistência dos pacientes na unidade de saúde, uma vez que a equipe de enfermagem estava incompleta aguardando a recomposição do quadro prevista para a próxima semana”. Além disso, segundo a Funsaud, devido ao Dia das Mães não foi possível completar a escala dos profissionais de enfermagem com horas extras.

“A Funsaud nega intempestividade no fechamento dos leitos, uma vez que durante a toda a semana já vinha trabalhando com a regulação municipal no sentido de reorganizar as internações dos pacientes atendidos pela unidade hospitalar. Fato este comprovado, uma vez que apesar do bloqueio temporário dos leitos, houve 5 admissões na UTI C no período em tela”, explicou a fundação.

Ainda segundo a assessoria da prefeitura, os leitos já estão ativos novamente e liberados para regulação.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário