ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  20    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Sem terra protestam em audiência que decide destino da usina de Bumlai

Por Elci Holsback e Helio de Freitas | 16/03/2017 10:05
Manifestantes questionam presença da polícia (foto: Helio de Freitas)
Manifestantes questionam presença da polícia (foto: Helio de Freitas)

Cerca de 100 integrantes do MSTB (Movimento Sem Terra Brasileiro) protestam neste momento em frente à Cerrado Brasil, em Dourados - distante 233 km de Campo Grande, onde ocorre neste momento, a portas fechadas, a assembleia de credores da Usina São Fernando, que pertence ao aos filhos do pecuarista José Carlos Bumlai, condenado na Operação Lava Jato e amigo do ex-presidente Lula.

A usina integra o patrimônio da Fazenda São Marcos, propriedade de 5,5 mil hectares, localizada na BR-463. Os sem terra reivindicam que a área seja destinada à reforma agrária e nesta manhã, tentaram participar da assembleia, mas cerca de 60 policiais militares e do DOF (Departamento de Operações da Fronteira) estão na porta do local.

"Terra de ladrão. Mais uma decepção para a democracia brasileira, estão protegendo ladrão enquanto a cidade está desprotegida. Fomos impedidos de entrar, aqui manda quem tem dinheiro", protesta Douglas Elias, líder do movimento.

Ainda segundo o manifestante, a presença da polícia é contraditória, pois, não há ordem judicial. "A presença da polícia aqui merece repúdio, vieram por conta própria, sem ordem judicial", relata Elias.

Na assembleia é discutida a negociação da área para quitação do débito em até 17 anos. Os manifestantes questionam porque não podem participar, já que tem interesse na compra, caso não seja destinada à Reforma Agrária.

"Aí dentro vai ser negociado para a fazenda ser paga em 17 anos e nós também podemos pagar em 17 anos. Se o juiz vai permitir a venda para um latifundiário que também não vai pagar, deveria determinar a venda para os trabalhadores que vão pagar e promover o desfavelamento e produzir alimentos. Onde planta cana, o povo passa fome", avalia o líder do movimento.

A fazenda da família de Bumlai cultiva cana-de açúcar, usada para produção de álcool e açúcar na Usina São Fernando, que também pertence à família Bumlai. Com dívida de R$ 1,5 bilhão, a indústria enfrenta vários pedidos de falência e tenta recuperação judicial.

Douglas Elias, líder do movimento (Foto: Helio de Freitas)
Douglas Elias, líder do movimento (Foto: Helio de Freitas)

MSTB quer a desapropriação da fazenda São Marcos, com base em portaria do MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário), que destinaria para a reforma agrária, terras com onde os proprietários acumulam grandes dívidas junto à União.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário