A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019

07/11/2019 15:03

Sócio de ex-secretário se apresenta à Polícia Federal e vai ficar preso

Raphael Henrique Torraca Augusto, 36, o “Pardal”, estava em Florianópolis e se apresentou nesta tarde na PF em Dourados

Helio de Freitas, de Dourados
Equipes da PF e da CGU deixam a Secretaria de Saúde na 2ª fase da Operação Purificação, ontem de manhã (Foto: Adilson Domingos)Equipes da PF e da CGU deixam a Secretaria de Saúde na 2ª fase da Operação Purificação, ontem de manhã (Foto: Adilson Domingos)

O promotor de eventos Raphael Henrique Torraca Augusto, 36, o “Pardal”, se apresentou na tarde desta quinta-feira (7) à Polícia Federal em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Ex-diretor da Secretaria Municipal de Saúde, Raphael teve a prisão decretada pela Justiça Federal na segunda fase da Operação Purificação, desencadeada ontem, mas não foi preso porque estava em Florianópolis (SC).

Raphael Torraca é apontado com o sócio do ex-secretário de Saúde e atual coordenador do Samu (Serviço Móvel de Urgência), Renato de Oliveira Garcez Vidigal, outro que teve a prisão decretada. Ele foi preso ontem de manhã e continua na Delegacia da Polícia Federal.

Ontem à tarde, Vidigal passou por audiência de custódia na Justiça Federal e a prisão preventiva dele foi mantida. Raphael Torraca passar por audiência de custódia amanhã (8). Caso não haja relaxamento da prisão, os dois devem ser levados para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

A segunda fase da Operação Purificação investiga conluio na contratação de três empresas fornecedoras da Secretaria de Saúde de Dourados. As empresas teriam sido favorecidas em licitações fraudulentas.

A fornecedora de marmita Marmiquente, a empresa de transporte Maranata, contratada para carregar pacientes, e uma loja de serviços de informática cujo nome é desconhecido teriam sido favorecidas na contratação através de licitações suspeitas.

Segundo a investigação da PF e da CGU (Cotroladoria-Geral da União), Renato Vidigal e Raphael Torraca seriam sócios da Marmiquente, que está em nome de um “testa de ferro”, sócio dos dois em outra empresa, fechada em 2014.

A Marmiquente Comércio de Bebidas e Alimentos Ltda. foi contratada por dispensa de licitação pela prefeitura por R$ 1,8 milhão para fornecer alimentação para a Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde), que administra o Hospital da Vida e a UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

Não há informações sobre o contrato entre a Secretaria de Saúde e empresa Maranata Transportes. No portal da transparência da prefeitura constam três pagamentos feitos neste ano pelo município à empresa, totalizando R$ 857,9 mil.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions