A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Outubro de 2019

19/09/2019 17:14

Suspeito nega, mas é preso por matar amigo com facadas no pescoço

Segundo depoimento de testemunhas a polícia, os dois moravam juntos e brigavam frequentemente

Geisy Garnes
Corpo foi encontrado próximo ao portão da casa (Foto: Fábio Campos/Rádio Caçula)Corpo foi encontrado próximo ao portão da casa (Foto: Fábio Campos/Rádio Caçula)

Juarez Alves da Costa, de 54 anos, foi preso como principal suspeito de assassinar a facadas Ronaldo Maldonado Callau, de 57 anos, na manhã desta quinta-feira (19) em Três Lagoas – a 338 quilômetros de Campo Grande. Segundo testemunhas, os dois moravam juntos e brigavam frequentemente. Ele nega o crime.

Conforme o boletim de ocorrência, a Polícia Militar foi chamada depois que a vítima foi encontrada no quintal, caída próximo ao portão da casa em que morava, com várias perfurações no pescoço.

No local, os militares encontraram um rastro de sangue que ia de um dos cômodos da casa até o corpo da vítima. Na residência ainda havia sinais claros de luta, como um ventilador caído, cobertores jogados no chão e muito sangue.

Para a polícia, vários vizinhos contaram que Ronaldo morava com Juarez e que brigas com eles eram frequentes. As testemunhas afirmaram ainda que na noite anterior o autor havia espalhado na região que mataria o “amigo”. Enquanto as equipes aguardavam a perícia, o suspeito chegou ao local, falante e visivelmente embriagado.

Aos militares confessou ter ameaçado a vítima. Explicou que fez isso porque foi roubado por ela e que a agrediu, mas não a matou. Afirmou que depois disso visitou a irmã, passou horas em um bar e dormiu em outro bairro, na casa de um amigo.

Mesmo negando o crime, Juarez confirmou para a polícia que uma camiseta florida toda suja de sangue, que foi encontrada a cerca de 100 metros do corpo, era sua. Segundo ele o sangue no tecido era o seu e não de Ronaldo. Ele tinha lesões aparentes nos braços e escoriações pelo corpo.

Diante dos fortes indícios de que cometeu o crime durante uma briga, Juarez foi preso em flagrante e levado para a 1ª Delegacia de Polícia Civil. Agora ele é investigado como homicídio qualificado por motivo fútil e recurso que dificultou a defesa da vítima.

Fiel companheiro - Enquanto as equipes faziam a perícia no local do crime e a vítima permanecia no quintal, uma cena chamou atenção de quem acompanhava o trabalho da polícia. Rambo, o cachorro de Ronaldo, permaneceu todo o tempo deitado ao lado do dono. Em uma foto registrada pelo site Rádio Caluça é possível ver o animal com as patas na perna da vítima.

Ao site Perfil News, moradores da região contaram que os dois eram inseparáveis. Cena comum, segundo os vizinhos, era a de Ronaldo rodando a cidade de bicicleta com o amigo correndo ao lado. Quando era pequeno, Rambo costumava ser carregado pelo dono com as patinhas no cano e no guidão, lembraram a reportagem.

O corpo do Ronaldo foi recolhido e levado ao Imol (Instituto Médico e Odontologico Legal) para exames.

 

Rambo não saiu do lado do dono (Foto: Fábio Campos/Rádio Caçula)Rambo não saiu do lado do dono (Foto: Fábio Campos/Rádio Caçula)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions