ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  13    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Testemunha revela farsa e homem que atirou na cabeça de adolescente é preso

Emerson Rebello Ferreira, de 23 anos, matou adolescente com tiro à queima roupa

Por Adriano Fernandes | 03/03/2021 22:51
Pamela Silveira Saturnino tinha apenas 17 anos de idade. (Foto: Reprodução Facebook)
Pamela Silveira Saturnino tinha apenas 17 anos de idade. (Foto: Reprodução Facebook)

Emerson Rebello Ferreira, de 23 anos, foi preso nesta quarta-feira (3) pela morte da adolescente Pamela Silveira Saturnino, de 17 anos, durante troca de tiros em Sidrolândia, cidade a 71 quilômetros de Campo Grande. O rapaz também foi baleado durante o tiroteio, ocorrido no dia 14 de fevereiro, chegou a prestar depoimento na delegacia da cidade, mas foi liberado logo em seguida.

Contudo, a Polícia Civil concluiu durante a investigação que um outro adolescente, de 17 anos, que até então era o principal suspeito da morte estava acobertando o verdadeiro culpado.

A farsa foi descoberta graças ao depoimento de uma amiga da vítima, que estava no banco de trás do veículo Gol onde Pamela foi executada. Conforme o portal Região News, de acordo com a testemunha, Emerson estava debruçado sobre a janela do passageiro do veículo, se afastou e fez o disparou a queima roupa que matou a garota.

Diante dos fatos, a Justiça determinou a prisão preventiva do acusado que foi encontrado na Rua Amazonas, em Sidrolândia.

Tiroteio - Pâmela morreu com um tiro na cabeça enquanto estava no veículo Gol que era conduzido por Marcos Henrique Sanches Echeverria, de 22 anos, na Avenida Dorvalino dos Santos, em Sidrolândia. A suspeita inicial da polícia é de que Marcos tinha uma "rixa" com o adolescente e Emerson, que também ficaram feridos na confusão. Marcos era namorado da vítima.

Segundo o auto de prisão em flagrante, pela dinâmica apresentada anteriormente, Marcos teria sido o autor dos disparos que atingiram Emerson (no braço), e o adolescente (no pescoço). Marcos também foi ferido por um disparo e assim como o adolescente ficaram sob escolta policial na Santa Casa de Campo Grande, após o atentado.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário