ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 17º

Interior

Envolvidos em troca de tiros que matou adolescente são “conhecidos” da polícia

Dois dos três envolvidos no tiroteio do fim de semana tem passagens por tentativa de homicidio

Por Mirian Machado | 15/02/2021 14:40
Pamela foi encontrada morta em carro deixado na frente de hospital. (Foto: Divulgação | Polícia Civil)
Pamela foi encontrada morta em carro deixado na frente de hospital. (Foto: Divulgação | Polícia Civil)

Marcos Henrique Sanches Echeverria, 22 anos e Emerson Rebello Ferreira, 23 anos, envolvidos na troca de tiros que resultou na morte da adolescente Pâmela Silveira Saturnino, 17 anos, no fim de semana em Sidrolândia, cidade há 71 km de Campo Grande tem várias passagens pela polícia, inclusive homicídio e tentativa de homicídio. Pâmela era passageira do VW Gol, de cor vermelha, conduzido por Marcos Echeverria.

Marcos já tem passagens por tentativa de homicídio e violência doméstica (Foto do Processo)
Marcos já tem passagens por tentativa de homicídio e violência doméstica (Foto do Processo)

Marcos, que segue internado após ser atingido por disparos, possui passagens por violência doméstica e tentativa de homicídio. Em 2017 o suspeito foi preso após passar por uma rua efetuando disparos de arma de fogo contra André Luiz de Castro Braga de 18 anos, porém durante os disparos acabou atingindo também outro jovem de 19 anos que estava em sua residência.

André foi atingido na altura do joelho. Já o outro rapaz foi socorrido por familiares até o hospital de Sidrolândia. À polícia, André contou que foi perseguido por Marcos que efetuou os disparos. Ele ainda contou que há uma briga antiga com um amigo e que esse teria sido o motivo.

Em 2019, Marcos foi denunciado pela ex mulher por violência doméstica. Conforme relatado pela mulher, ambos vivam há 4 anos e tem uma filha juntos. Na data do crime, Marcos chegou em casa embriagado e iniciou uma discussão. Em certo momento desferiu tapas e socos à mulher, depois a derrubou e a arrastou pelo chão. Na época a mulher chegou a pedir medida protetiva de urgência.

Já Emerson, que é filho de policial militar aposentado e que também foi atingido, tem passagens por lesão corporal dolosa, ameaça, porte ilegal de arma de fogo de uso permitido, falta de habilitação, tentativa de homicídio e homicídio.

Em outubro de 2016, Emerson foi preso em flagrante por porte ilegal de arma quando passava por um bloqueio policial na Avenida Dorvalina dos Santos. O suspeito foi parado por policiais que durante revista encontraram na cintura do autor uma arma calibre 32 com 6 munições intactas. Aos policiais, Emerson confessou que comprou a arma no Paraguai.

Já em agosto de 2017, Emerson matou com 4 tiros Devid Thiel de Lima de 28 anos após passar com um comparsa em uma motocicleta em frente a residência da vítima. Na época, Devid chegou a ser socorrido por familiares até o Hospital de Sidrolândia, mas duas horas depois, não resistiu e morreu.

Conforme consta no processo, Emerson estava com amigos e a mãe em uma conveniência, quando uma amiga começou a discutir com outra mulher por causa de um cartão. A mulher, segundo o boletim de ocorrência, estava com quatro rapazes.

Durante a discussão a mãe de Emerson também entrou na briga, momento em que um dos quatro rapazes teria dado um tapa no rosto da mulher e a chutado na barriga. Emerson então retirou a mãe do local e a levou até em casa. Uma testemunha viu Emerson deixando a mãe em casa e saindo em uma motocicleta junto com outro individuo.

Em abril de 2018, Emerson foi preso em flagrante após iniciar uma discussão em uma pub na cidade. No local, começou o homem a agredir pessoas com um capacete e coronhadas, além de ameaça-las com arma.

Um homem tentou intervir mais foi atingido por dois tiros de raspão. Um rapaz chegou a gritar para um amigo ligar para a polícia, mas Emerson teria esfregado a arma no rosto da vítima e a ameaçado. O amigo que tentava ligar para a polícia, foi agredido também com coronhadas e com um capacete.

Troca de tiros-  Pamela Silveira Saturnino, 17 anos, morreu durante um tiroteio na madrugada de domingo (14), em Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande. No local os militares encontraram Gol vermelho estacionado na contramão. Pâmela foi encontrada já sem vida dentro do veículo.

Marcos foi preso em flagrante, mas segue sob escolta internado na Santa Casa. Emerson foi atingido no braço. Ele foi ouvido e liberado. Em depoimento à polícia, Emerson contou que a rixa começou depois que o adolescente, seu amigo, fez amizade com a ex-mulher de Marcos. O suspeito não gostou da situação, “tentou bater e proferiu ameaças contra o garoto no dia do crime", porém foi impedido por ele.

Já outro adolescente também envolvido está internado na Santa Casa aos cuidados da equipe de cirurgia torácica, sem previsão de alta. Ele foi atingido no pescoço.

Conforme apurado, preliminarmente, pelas equipes policiais, Emerson e Marcos discutiram e, na sequência, houve troca de tiros. Porém, ainda não há informações de quem iniciou os disparos, nem de quem foi autor do disparo que atingiu Pâmela na cabeça. Por enquanto, as suspeitas recai sobre o menor.

Segundo a polícia, “em relação ao adolescente, sua participação precisa ser melhor esclarecida, principalmente pela possibilidade de estar sendo coagido  a assumir a autoria do disparo fatal para afastar a responsabilidade de terceiro maior de idade”. As circunstâncias do crime serão esclarecidas durante inquérito policial.

Pâmela era passageira do VW Gol, de cor vermelha, conduzido por Marcos Echeverria. Havia marcas de projéteis na lataria do automóvel. De acordo com a polícia, ainda precisa ser esclarecida a participação dele no crime. Um revólver calibre 38, provavelmente utilizado por Marcos, com 4 munições deflagradas, foi apreendido próximo de uma árvore. A outra arma ainda não foi localizada.

Nos siga no Google Notícias