ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, TERÇA  07    CAMPO GRANDE 31º

Interior

Trio confessa ter matado mulher com golpes de facão por vingança

Por Adriano Fernandes | 16/07/2018 21:38
Cada um dos suspeitos tinha desavença com a vítima. (Foto: A Gazeta News)
Cada um dos suspeitos tinha desavença com a vítima. (Foto: A Gazeta News)

A Polícia Civil identificou e prendeu nesse domingo, 15, três suspeitos pela morte Marilyne Siqueira de Souza, conhecida como “Birosca” de 43 anos, a golpes de facão, no último sábado (14) em Amambai, cidade a 360 quilômetros de Campo Grande.

Edneia Paula de Almeida, a “Verônica”, de 42 anos e Renato Telies de Souza, de 58 anos, foi os primeiros a serem encontrados após o crime, mas negaram participação na execução e apontado outro culpado. Elias Francisco Fernandes, o “Elias Maluco”, de 26 anos, que também já acumula inúmeras passagens pela polícia por outros crimes.

No entanto, ao ser detido, Elias Maluco admitiu que cometeu o crime com a ajuda do casal. Segundo a Polícia Civil, durante novo interrogatório, o trio teria confessado o assassinato e passado mais detalhes sobre o crime.

O crime

Marilyne Siqueira de Souza, a “Birosca”, de 43 anos, foi brutalmente assassinada a tiros e golpes de facão na região conhecida como “Buracão”, às margens da Rodovia MS-485, na saída para Aral Moreira. Segundo a Polícia Civil, Elias Maluco, Renato de Souza teriam começado a planejar o crime na sexta-feira, dia 13 de julho, cada um com uma motivação pessoal diferente.

Elias Maluco planejava se vingar de Birosca porque ela o teria dito a polícia sobre o envolvimento dele em um crime, o levou para a cadeia. Renato de Souza porque Marilyne teria invadido sua casa, furtado dinheiro e pertences.

Já Verônica, que chegou a ser amiga da vítima, teria se envolvido em confusão por conta de Birosca. Ainda conforme o A Gazeta News, no dia do crime e em um Corsa Sedan cor branca, Edneia teria levado o marido e Elias Maluco para o local do assassinato e depois voltado para a cidade onde pegou Marilyne e levado para a “emboscada”.

Armado com um revólver calibre 32, Elias Maluco teria atirado contra Birosca, enquanto Renato de Souza, de posse de um facão, teria atingido vários golpes contra a mulher. Depois de matarem Birosca, Verônica, Renato e Elias Maluco teriam deixado o local e se livrado das armas usadas para o crime.

Após indicação dos supostos autores, o facão usado para matar Marilyne, ainda com sangue da vítima, foi localizado em uma vegetação próximo ao local onde o corpo foi encontrado. Já o revólver o trio teria jogado no Córrego Panduí. O trio foi autuado em flagrante por homicídio qualificado e permanece preso a disposição da Justiça.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário