A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Outubro de 2017

02/08/2011 15:52

Unei é acusada de espancar adolescente que morreu em Dourados

Viviane Oliveira

O adolescente morreu na madrugada do último domingo

Mãe acusa a Unei de maus tratos. (Foto: Sérgio Quinhones)Mãe acusa a Unei de maus tratos. (Foto: Sérgio Quinhones)

Rosana Carolina Freire Viana, 33 anos, mãe do interno Elieverton Freire Viana, 16 anos, que morreu na madrugada do último domingo (31) no Hospital da Vida, acusa a Unei (Unidade Educacional de Internação) Laranja Doce, em Dourados, de espancar seu filho.

Na certidão de óbito consta que o garoto morreu pela ruptura do baço, trauma abdominal e hemorragia. A mãe disse que vai entrar na Justiça contra o Estado para responsabilizá-lo pela morte do filho que estava sob sua responsabilidade.

O adolescente estava na Unei desde março desse ano pela prática de assalto a mão armada. Rosana conta que entregou o filho com saúde, e eles devolveram dentro de um caixão. “Ele estava bem, seja o que for a causa da morte dele, o responsável é o Estado”.

Segundo Rosana, o garoto foi espancado dentro da Unidade. “É o que consta na certidão de óbito dele”, disse Rosana.

Segundo ela, o órgão não informou que o filho estava doente e que só ficou sabendo por causa de uma vizinha, que estava com um parente interando no Hospital da vida.

“Fui visitá-lo na sexta-feira, mas a internação foi na quarta. Perguntei se alguém tinha feito mal a ele, então ele olhou para o lado onde estava um agente e não disse nada.

O diretor da Unei Odenir Alves de Souza, disse que o adolescente recebeu toda assistência necessária desde o memento que apresentou problemas de saúde.

Odenir suspeita de que tenha havido negligência médica, por parte do profissional que atendeu o adolescente. “De forma alguma ele deveria ter recebido alta, ele retornou para a Unei pior do que estava”.

Conforme ele, o médico foi questionado pela nossa enfermeira sobre a saúde do adolescente. "Ele disse que ia aplicar um medicamento e se fosse para ficar tomando soro no hospital era melhor voltar para a Unei", disse o diretor.

O quadro do garoto piorou e foi internado na madrugada de domingo. O adolescente foi direto para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva). "É um absurdo enorme isso, o médico disse no começo que o garoto não tinha nada e agora vem dizer que ele estava com hematomas", declara o diretor.

Conforme ele, ainda não recebeu o laudo oficial do IML (Instituto Médico Legal) e nem a cópia da certidão de óbito que apontam as reais causas da morte. “Tudo está ainda em processo de apuração, o que eu posso garantir é que toda a assistência foi prestada ao adolescente.

O diretor conta que a unidade recebe a visita do Ministério Público e da defensoria pública toda semana e do juizado da infância a adolescência pelo menos uma vez por mês. Eles verificam se há alguma irregularidade dentro da Unei.

Afastamento – Atualmente existem dez agentes afastados da Unidade masculina, respondendo processo criminal, a maioria por maus tratos. “A gente leva a fama de torturador, mas tem funcionário que extrapola. Estes já estão sendo punidos”, afirma Odenir.

O coordenador das unidades, coronel Hilton Vilassanti, disse que recebeu a informação que o adolescente estava internado, recebeu alta, passou mal e foi levado novamente para o hospital, onde morreu.

Segundo o coordenador, até o momento não foi registrado nenhuma denúncia de que o interno morreu por conta de agressão ou qualquer outra coisa. “Nós não nos omitiremos diante desse fato e vamos procurar saber quem é o responsável e se caso houver este será responsabilizado”, finaliza o coronel. (Com informações do site Dourados Agora)

Vítima é achada morta com 11 ferimentos de arma de fogo no Centro
Homem de 33 anos foi assassinado com vários tiros, por volta das 23h30 de ontem (22), na Rua Vereador Rogério Francisco Santana, no Centro de Bandeir...
Continuam abertas as inscrições para mestrado em Agronegócios da UFGD
A UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) segue com inscrições abertas para o processo seletivo do mestrado em Agronegócios, para candidatos i...
MPE apura em inquérito possível irregularidades no CCZ de Dourados
O MPE-MS (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul) apura desde o início do mês em inquérito civil a existência de irregularidades ambienta...



ACREDITO QUE HÁ OMISSÃO NESSE CASO DE AMBAS AS PARTES. A MÃE POR NÃO TER LIBERTADO SEU FILHO ANTES DO CRIME. O ESTADO POR NÃO PROTEGÊ-LO NAS SUAS DEPENDÊNCIAS. ENFIM, ESTAMOS VIVENDO EM UMA SOCIEDADE DESIGUAL E DESUMANA. FALTA AMOR NO CORAÇÃO E FÉ EM DEUS.
 
EDIUZO FERREIRA DA SILVA em 03/08/2011 08:25:28
Nós temos que parar com a hipocrisia de achar que unidades penais, sejam para maiores ou menores de idade, são para recuperação, elas são para punição, colocam em pratica o código penal. Se alguém pratica uma infração de transito, tem a penalidade, pode ser multa e ou apreensão do veículo, suspensão ou cassação do direito de dirigir, e quem pratica um crime tem que ser punido também, e a lei diz perda do direito de ir e vir, reclusão ou internação, tão somente. Não concordo com violência ou humilhação do penalizado, mas a primeira coisa pra isso não acontecer, é não praticar crimes. Com certeza deveria haver ações conjuntas a aplicação da penalidade para recuperação do penalizado, para tentar faze-lo se enquadrar as regras de convívio social. Agora que aconteceu a falta do estado em relação a morte deste rapaz, ou seja pela violência de algum agente do estado, ou pela violência de algum interno, sem dúvida houve a falta do estado, mas a falta maior na vida deste jovem foi a falta de educação que seus pais não deram. A sua mãe não entregou a custódio ao estado, ele foi apreendido pela pratica de crimes.
Pais coloquem uma coisa na cabeça, não eximam da responsabilidade da criação e formação de seus filhos, para que depois fiquem chorando e culpando todo mundo, menos você.
 
jose antonio em 02/08/2011 07:01:14
O QUE TAMBÉM É LAMENTÁVEL É QUE A MÃE DO ADOLECENTE NÃO SABEM QUE ELA PERDEU ESTE FILHO QUANDO ELE RESOLVEU ASSALTAR A MÃO ARMADA. A QUESTÃO DE SÓ AGORA INTERRAR ERA UMA QUESTÃO DE TEMPO.
 
JORGE FERREIRA DA SILVA em 02/08/2011 06:40:09
Engraçado, nessa mesma UNEI a dois anos morreram dois adolescentes queimados. Essas pesoas morrem e ninguem nem liga. É que não tem um dinheirinho a mais né, aliás, é um ladrão a menos. Coitada dessa mãe e desse menino. Se ladrão tem de morrer a pessoa que tem obrigação de cuidar e mata tem de acontecer o que com ela?!
Cadê a promotoria para fazer justiça aqui?!
 
Davi Gonçalves de Lima em 02/08/2011 06:21:50
É lamentável, agora querem se livrar das responsabilidades. É isso que podemos chamar de recuperaçao em nosso País? Pegam o jovem delinquente e o apreendem com a finalidade de recuperá-lo e no entanto o devolvem, se nao pior de quando entrou lá, morto sem explicaçoes, é triste. As autoridades tem que tomar providencias urgentes, quanto a recuperaçao, nao só dos adolescentes, como de todo o sistema carcerário. Recuperando mesmo. Pois atualmente, podemos pensar nessas instituiçoes como ineficazes quanto a finalidade oferecida.
 
MARIA LINA em 02/08/2011 05:20:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions