ACOMPANHE-NOS    
MAIO, DOMINGO  16    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Vendaval ocorreu em pontos isolados e teve 2 milímetros de chuva

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 27/01/2020 23:22
Árvore que caiu na Rua Carlos Ribeiro Garcete. (Foto: Dourados Agora)
Árvore que caiu na Rua Carlos Ribeiro Garcete. (Foto: Dourados Agora)

O vendaval que causou estragos e assustou moradores na tarde desta segunda-feira (27), principalmente no Bairro Canaã lll, não ocorreu com a mesma intensidade em outros pontos da cidade, conforme o pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste, Ricardo Fietz.

Nas estações da própria Embrapa e do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia do Brasil) que fica no aeroporto da cidade, não houve incidência do vendaval. Também não há dados sobre a velocidade dos ventos.

“Foi um temporal em áreas localizadas, com ventos fortíssimos. Assim como a chuva”, comentou o pesquisador. Na estação da Embrapa choveu 2 mm. Na região do Jardim Girassol não houve vento forte e também não choveu.

Segundo o pesquisador o maior registro de vendaval na região ocorreu em agosto de 2006 quando as rajadas chegaram a 81 km/h. Considera-se tornado rajadas com mais de 100 km/h. 

Vendaval - Em cerca de 30 segundos o vendaval derrubou árvore, destelhou casas e deixou uma pessoa ferida. Fachadas de lojas também foram destruídas com a rajada de vento. Um homem foi atingido na cabeça por partes de casa destelhada, na Rua Carlos Ribeiro Garcett, no Canaã 3, região sul da cidade.

 

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário