A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 24 de Março de 2017

04/12/2014 10:15

Vereador é preso após matar desafeto e falar que atropelou cachorro

Helio de Freitas, de Dourados
O vereador Joãozinho foi preso hoje de manhã acusado de atropelar e matar um homem em junho deste ano (Foto: Douradina News)O vereador Joãozinho foi preso hoje de manhã acusado de atropelar e matar um homem em junho deste ano (Foto: Douradina News)

O vereador João Pinto Cuenca, o Joãozinho (PMDB), foi preso hoje de manhã no município de Douradina, a 196 quilômetros de Campo Grande. Ele é acusado de atropelar de propósito Edmilson Centurião Vieira, 36 anos, no dia 10 de junho deste ano.

Edmilson chegou a ser socorrido a um hospital de Dourados, mas morreu no mesmo dia. Na época, Joãozinho alegou que tinha atropelado um cachorro após a polícia encontrar vestígios de sangue em seu carro. O vereador nega o crime.

De acordo com rádio Grande FM, de Dourados, a prisão preventiva de João Cuenca foi decretada pelo juiz André Luiz Monteiro, da comarca de Itaporã, a pedido do delegado de Douradina, e cumprida na manhã de hoje. O vereador foi levado para a delegacia, mas deve ser transferido para a cadeia de Itaporã.

Edmilson Centurião Vieira morava no distrito de Cruzaltina e sofreu o acidente na noite de 10 de junho, quando trafegava de moto pela rodovia MS-470, próximo à ponte sobre o rio Laranja Doce. Inicialmente a polícia acreditava que ele tivesse perdido o controle da moto e batido no guard rail da ponte.

Pessoas que passavam pelo local encontraram Edmilson ferido e chamaram a ambulância de Douradina, que encaminhou o homem ao hospital de Dourados com fortes dores no peito. Edmilson não resistiu aos ferimentos e morreu horas depois.

O boletim de ocorrência sobre a morte foi registrado no 1º Distrito Policial de Dourados e depois encaminhado para a delegacia de Douradina, que começou a investigar o caso. Durante a investigação surgiram suspeitas contra o vereador João Pinto Cuenca.

O vereador foi chamado para prestar depoimento e apresentar seu veículo. Como o carro tinha sinais de que havia sido envolvido em acidente e possuía inclusive vestígios de sangue, a polícia encaminhou o veículo para perícia em Campo Grande. Joãozinho alegou que tinha atropelado um animal, possivelmente um cachorro, mas os exames comprovaram que se tratava de sangue humano.

A polícia ainda não revelou detalhes do caso nem o motivo que levou o vereador a atropelar e matar Edmilson Centurião Vieira.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions