A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019

01/08/2019 18:50

Vereadora leva ao MP denúncia contra família de colega contratada da prefeitura

Parlamentar diz que contratações atendem interesse do Executivo e também do vereador Alberto Alves dos Santos, o Bebeto

Gabriel Neris e Helio de Freitas, de Dourados
Vereadora em frente ao prédio do Ministério Público com denúncia em mãos (Foto: Reprodução/Facebook)Vereadora em frente ao prédio do Ministério Público com denúncia em mãos (Foto: Reprodução/Facebook)

A vereadora Lia Nogueira (PL) levou ao Ministério Público Estadual a denúncia de que a família do colega de partido, o vereador Alberto Alves dos Santos, o Bebeto, está empregada na Prefeitura de Dourados, município localizado a 228 km de Campo Grande.

A parlamentar havia levado a denúncia à tribuna no início da semana durante sessão ordinária na Câmara de Vereadores. “São filhos e até o genro nomeados em cargos de confiança, pagos com dinheiro público, com salários de R$ 2 a R$ 8 mil. Se não é ilegal, é no mínimo moral”, disse na ocasião. Na denúncia, entre na 16ª Promotoria de Justiça de Dourados, são citados:

- Edmara Alves dos Santos Souza, filha do vereador, com salário de R$ 3,2 mil, lotada no Centro de Atendimento a Muler.

- Edevan Alves dos Santos, filho do vereador, servidor efetivo da prefeitura beneficiado com gratificação de função de confiança com aumento salarial de 50%.

- Jessika Sayure Matos Kushida Santos, nora do vereador, classificada em 9º em processo seletivo de 2018 para profissional do magistério municipal. Segundo a denúncia, foi contratada temporariamente para exercer tarefas inerentes à função de coordenador pedagógico, porém aponta diferenciação de salários entre abril (R$ 7,5 mil) e julho (R$ 1,7 mil). Também questiona a data da exoneração de junho e que em julho a servidora aparecia como servidora ativa.

- Dalton Santos Ribeiro, genro do vereador, servidor efetivo da prefeitura. Foi nomeado em cargo de comissão na Semsur (Secretaria Municipal de Serviços Urbanos), com salários de R$ 4,9 mil, e seguidamente foi exonerado e nomeado em outras pastas. Mas, segundo a denúncia, em junho apresentava situação de licenciado.

“O que pode, em tese, configurar uma ‘troca de favores’ entre este e a chefe do Poder Executivo, já que o mesmo defende os interesses da prefeitura, votando e orientando a base de sustentação do governo da forma que atende os interesses da mandatária”, diz Lia, no documento.

A mandatária citada pela parlamentar é a prefeita de Dourados, Délia Razuk (sem partido). Em nota, o vereador Bebeto rebateu as denúncias e disse que três filhos são concursados, que a filha está nomeada em cargo de confiança na Secretaria de Saúde há quase uma década e que o genro, também servidor contratado, não pertence a seu grupo político.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions