ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 24º

Interior

Vídeo mostra ação de pistoleiros na emboscada em que Rafaat foi morto

Paulo Yafusso | 16/06/2016 18:43
Atingido por rajadas de tiros de metralhadora, carro dirigido por Jorge Rafaat parou na rua, com o empresário morto (Foto: Direto das Ruas)
Atingido por rajadas de tiros de metralhadora, carro dirigido por Jorge Rafaat parou na rua, com o empresário morto (Foto: Direto das Ruas)

Imagens captadas de uma câmera de segurança instalada em um dos prédios da rua onde o empresário Jorge Rafaat Toumani sofreu emboscada, mostra o momento em que o carro em que ele estava é atacado simultaneamente por vários atiradores. Elas são impressionantes, parecendo cenas de filme da máfia do tráfico que aterrorizou a Itália anos atras.

De acordo com o que e imprensa paraguaia divulgou, a quadrilha adversária de Rafaat contratou cerca de 100 pistoleiros para executar o serviço. Divididos em grupos e ocupando carros, eles se posicionaram estrategicamente e surpreenderam o “Chefão” da fronteira quando ele se preparava para passar por um cruzamento.

Quando Rafaat, dirigindo a caminhonete Hummer blindada se aproxima do cruzamento, o bando rival já estava parada, deixando espaço para que ele ficasse do lado direito. Logo em seguida o carro avança e o atirador, que seria o brasileiro Sérgio Lima dos Santos, de 34 anos, dispara contra o para-brisa com o fogo concentrado no motorista, que morreu no local crivado de tiros.

Anteriormente a Polícia Nacional do Paraguai havia divulgado que foi usado um fuzil .50, mas agora constatou-se que Sérgio Santos usou uma metralhadora Browning .50, com alto poder de destruição, tanto que perfurou o carro blindado de Rafaat.

A ação mostra que a quadrilha planejou bem o ataque. Assim que Sérgio dos Santos metralha o carro de Rafaat, as imagens mostram que o Hammer para na rua e passa a receber tiros de todos os lados. Além dos seguranças que estavam com ele no carro, o “Chefão” da fronteira tinha batedores, com um time de seguranças formados por 30 profissionais, conforme o noticiado pela imprensa paraguaia.

Nos siga no Google Notícias