A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

09/10/2014 16:31

Licença ambiental emperra duplicação da BR-163, admite ministro

Michel Faustino e Alan Diógenes
Devido a falta de licença ambiental, por enquanto, somente 80 quilômetros da rodovia serão duplicados. (Foto: Marcos Ermínio)Devido a falta de licença ambiental, "por enquanto, somente 80 quilômetros da rodovia serão duplicados. (Foto: Marcos Ermínio)
Ministro dos transportes visitou trechos em obras na tarde desta quinta-feira. (Foto: Marcos Ermínio)Ministro dos transportes visitou trechos em obras na tarde desta quinta-feira. (Foto: Marcos Ermínio)

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, declarou, na tarde desta quinta-feira (9), durante visita às obras de duplicação da BR-163 no Estado, que somente 80 quilômetros, cerca de 10% da extensão da rodovia, poderão ser duplicadas “por enquanto”, devido a falta de licença ambiental.

Segundo o ministro, o Governo Federal está empenhado em deliberar as tratativas para a liberação da licença junto ao Ibama, para que a obra possa prosseguir em toda a extensão da rodovia, que em Mato Grosso do Sul é de aproximadamente 850 quilômetros.

“Estamos dando encaminhando para isso, para que possamos agilizar esse processo. Isso porque depois de todas as tratativas encaminhadas o prazo é de mais um ano para a liberação da licença. Agora, por enquanto, vamos trabalhar nestes 10% com a anuência do Ministério do Meio Ambiente”, ponderou.

De acordo com o diretor presidente da CCR MS Vias, Maurício Soares Negrão, mesmo com o impedimento de realizar a duplicação em outros trechos da rodovia, a obra está dentro do “prazo”.

Diretor da CCR Vias MS diz que obra está dentro do prazo. (Foto: Marcos Ermínio)Diretor da CCR Vias MS diz que obra está dentro do prazo. (Foto: Marcos Ermínio)

“Estamos dentro da nossa previsão inicialmente nós temos o compromisso de fazer 80,6 km de até 31 de outubro do ano que vem e estamos rigorosamente dentro do cronograma”, disse.

Maurício ressaltou a importância da obra, que segundo ele, vai dar mais “tranquilidade” ao fluxo na rodovia e melhorar o trafego de veículos.

“Duplicar é dobrar a capacidade da rodovia, hoje se você vai transitar pela BR-163 fica 1 a 3 quilômetros atrás de carretas sem poder ultrapassar, isso vai acabar. Vamos ganhar fluidez bastante grande e a duplicação vai ter vida util de 25 anos em precisar novas ampliações”, disse. Segundo ele, a CCR Vias tem como principal desafio duplicar mais de 800 quilômetros da BR-163 em cinco anos.

Investimentos - Nos cinco primeiros anos, estão previstos investimentos de R$ 3,4 bilhões (a valores de janeiro de 2014) para a realização de obras que contemplem a duplicação completa da rodovia, além de implantação e operação dos serviços de operação, entre outros. Isso representa mais de 60% do total de R$ 5,5 bilhões a serem investidos até o final da concessão.

A BR-163 tem 847,2 quilômetros de extensão e cruza todo o Mato Grosso do Sul, desde a divisa com o Paraná, ao Sul, na cidade de Mundo Novo, até a divisa com Mato Grosso, ao Norte, na cidade de Sonora. A rodovia passa por 19 municípios, entre eles a capital, Campo Grande, e serve a mais de 1,3 milhão de habitantes. Seu papel é fundamental na logística de transporte da agroindústria, do comércio e do turismo.

Câmara de Vereadores entrega meio milhão de reais em emendas parlamentares
A Câmara Municipal de Costa Rica, a 305 quilômetros de Campo Grande, realiza nesta segunda-feira (dia 11) três sessões, duas delas especiais. Às 14h ...
Município de Itaporã comemora 64 anos de emancipação neste domingo
Conhecido como Cidade do Peixe, Itaporã, distante 227 km de Campo Grande, comemora 64 anos de emancipação neste domingo (10). A prefeitura municipal ...


Isso e jogada politica para favorecer empresários !!! por essas coisas que eu vou votar por mudanças no dia 26 de outubro !!! Hahahaha
 
andre em 10/10/2014 08:44:43
A burocracia brasileira impede até o desenvolvimento do país, a quase dois anos foi anunciado a privatização da BR 163 e o IBAMA já deveria ter feito um estudo sobre os impactos ambientais.
Agora que vão dar inicio ao estudo e que vai durar no minimo 1 ano, ou seja, a obra terá que ficar parada durante um ano.
Isso que decepciona querer votar nos políticos brasileiros.
 
wild em 09/10/2014 22:06:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions