A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

10/04/2013 20:50

MEC diz que não vai flexibilizar avaliação de faculdades de menor porte

Mariana Tokarnia, da Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) diz, por meio de nota, que não vai flexibilizar a avaliação das instituições de ensino superior privadas de pequeno e médio porte.

A nota é uma resposta à reportagem aos representantes dessas instituições, que pedem uma adequação das avaliações do MEC ao contexto em que estão inseridas. A maioria delas tem conceito 2 ou inferior, considerado insuficiente pela pasta.

No final do ano passado, o MEC anunciou a suspensão de vestibulares dos cursos com avaliação insatisfatória reincidente. Essas instituições deixaram de ter acesso às bolsas do Programa Universidade para Todos (Prouni) e vagas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Os cursos mal avaliados também foram excluídos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

O MEC diz que "todas as medidas adotadas vão na direção da expansão do sistema – uma demanda importante –, mas com a contrapartida inequívoca de uma oferta de qualidade"

As medidas de regulação e supervisão aplicadas pelo MEC têm como base os indicadores de qualidade de cursos e instituições Conceito Preliminar de Cursos (CPC) e Índice Geral de Cursos das Instituições (IGC). Em uma escala que vai até 5, os conceitos 1 e 2 são considerados insatisfatórios.

"A prioridade do Ministério da Educação é fiscalizar os cursos e instituições para garantir a qualidade necessária da educação superior e, consequentemente, a segurança dos estudantes", diz a pasta.

Autorização para psicólogos aplicarem terapia de reorientação sexual é mantida
O juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal de Brasília, decidiu hoje (15) tornar definitiva a decisão liminar (provisória) que havia pr...
Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions