A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

21/10/2014 18:03

Médico suspeita que 1º caso de chinkungunya foi contraído em MS

Michel Faustino
Médico diz que doença foi contraída em Mato Grosso do Sul. (Foto: Marcelo Calazans)Médico diz que doença foi contraída em Mato Grosso do Sul. (Foto: Marcelo Calazans)

O médico infectologista Maurício Pompílio, responsável por fazer o acompanhamento do paciente infectado com o vírus da Febre Chikungunya, na Capital, confirmou que a doença foi contraída em Mato Grosso do Sul, e não fora do Estado. No total, houve quatro casos suspeitos. Na tarde de hoje, médicos e funcionários do HU (Hospital Universitário), além de acadêmicos de medicina, participaram de uma palestra com o intuito de obter informações sobre o diagnostico da doença.

Inicialmente foi cogitada a hipótese do campo-grandense ter sido infectado durante viagem para fora do Estado. Porém, segundo o médico, devido ao período “recente” de manifestação da doença, a possibilidade dele ter contraído a doença em outro Estado foi descartada.

Segundo ele, o paciente teria feito viagens para o Estado de São Paulo, onde há registros de 17 casos (importados), porém, todas em um período maior do que 30 dias. Conforme Maurício, a doença se manifesta em até 15 dias, o que significa que ele contraiu a doença dentro do Estado.

Conforme o médico, após retornar para Mato Grosso do Sul, ele teria feito ainda algumas viagens para o interior. O que gera uma dúvida se o paciente foi infectado em Campo Grande, onde mora, ou durante a viagem que fez pelo Estado.

“Ele chegou em Mato Grosso do Sul e dias depois foi para o interior. Então não sabemos se ele foi infectado aqui em Campo Grande ou na cidade que ele estava”, comentou.

Segundo o médico, o paciente ficou em observação por cerca de cinco dias, e após ser liberado para receber tratamento em casa, na sexta-feira (17), ele já retornou duas vezes à clinica onde estava internado para fazer exames complementares.

Conforme o infectologista, o homem não está mais com febre e nem com manchas no corpo, porém ele ainda está sentindo dores nas articulações, sintoma característico que difere a Febre chikungunya da dengue.

Segundo ele, o paciente ainda não conseguiu retornar as atividades do dia-dia, e permanecerá em repouso até que seu quadro esteja completamente estabilizado.

A doença - A Febre Chikungunya causa febre alta, dor muscular e nas articulações, cefaleia e exantema. Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde, a letalidade é rara e menos frequente que nos casos de dengue. O tratamento é feito para combater os sintomas, com analgésico (paracetamol), hidratação adequada e repouso.
A medida básica de prevenção é o combate aos mosquitos transmissores. As mesmas ações que evitam a dengue são capazes de prevenir também a Chikungunya.

A chikungunya assusta porque apresenta os mesmos sintomas da dengue - febre de 39º, dores musculares, dor de cabeça e vômitos. No entanto, ao contrário da primeira, que o sul-mato-grossense está acostumado, os sintomas podem persistir por mais de um ano. A dengue só se manifesta por, no máximo, algumas semanas.

Proximidade - A Febre Chikungunya já chegou a quatro estados com divisa com Mato Grosso do Sul, onde soma 21 casos, conforme balanço divulgado, na quarta-feira (15), pelo Ministério da Saúde. No país, já são 337 registros, 258 a mais que o último levantamento, realizado em 27 de setembro.

Entre os vizinhos de Mato Grosso do Sul, São Paulo lidera o ranking, com 17 casos de importados de pessoas que viajaram para países com transmissão da doença, como República Dominicana, Haiti, Venezuela, Ilhas do Caribe e Guiana Francesa. No Paraná, são duas notificações e uma, em Goiás.

Dos quatro estados vizinhos, só em Minas Gerais a febre atingiu uma pessoa sem registro de viagem internacional para países onde ocorre a transmissão.

Em Mato Grosso do Sul, segundo a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), dois casos suspeitos foram descartados, após exame laboratorial.

Médico suspeita que 1º caso de chinkungunya foi contraído em MS


Dr. Maurício Pompílio, o melhor médico infectologista de Mato Grosso do Sul, competente e responsável, é de suma importância a publicação de matéria como esta para que a população saiba da importância dos cuidados e prevenção das doenças infectocontagiosas.
Parabéns ao Dr. Maurício e ao campograndenews.
 
euzinha em 22/10/2014 09:49:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions