A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

27/03/2015 12:55

MP fecha os olhos para policial morto por “vagabundo”, reclama entidade

Aline dos Santos
MPE criou grupo para controle externo da atividade policial. (Foto: Marcelo Calazans)MPE criou grupo para controle externo da atividade policial. (Foto: Marcelo Calazans)

As iniciativas do Ministério Público para controle externo da atividade policial causaram de surpresa à indignação na ACS/MS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros).

Neste mês, foi criado o Gacep (Grupo de Atuação Especial de Controle Externo da Atividade Policial) e hoje, em Campo Grande, uma comissão do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) vai apresentar projeto para apuração de mortes provocadas por policiais, que inclui criação de um bando de dados sobre os casos.

“Por que o Ministério Público não se reúne para discutir os policiais vítimas. É obrigado a ajudar, mas não está nem aí. E o policial que troca tiro com vagabundo e morre. O Ministério Público quer holofote. Por que não se reúne para discutir que a cada 32 horas um policial é morto no País. Fecha os olhos”, questiona o presidente da associação, Edmar Soares da Silva.

Segundo ele, é preciso fiscalizar e excesso na ação do policial deve ser punido, mas cobra empenho semelhante da instituição para que, por exemplo, se torne crime hediondo o assassinato de policial, bombeiro militar, integrante das Forças Armadas, do sistema prisional e da Força de Segurança Nacional.

O projeto do “MP no enfrentamento à morte decorrente de intervenção policial” quer que toda ação estatal que resulte em óbito tenha específica investigação policial. O projeto inclui a criação de um banco de dados pelo CNMP sobre esses óbitos.

De olho – A entidade que representa os policiais e bombeiros quer reunião com o secretário de Justiça e Segurança Pública, procurador Sílvio Maluf , para obter mais informações sobre as atribuições do Gacep (Grupo de Atuação Especial de Controle Externo da Atividade Policial).

“Os policiais querem saber qual o fundamento, quais são os requisitos. O controle externo é feito sempre. Não entendo porque criar um grupo para isso”, afirma Edmar.

Os promotores podem visitar, a qualquer tempo, as delegacias, os distritos policiais, casas de custódia provisória, unidades militares e respectivas carceragens.

O Ministério Público também poderá requisitar à autoridade competente a instauração de inquérito sobre a omissão ou fato ilícito ocorrido no exercício da atividade policial.

Banco de dados será criado para cobrar apuração de mortes em ação policial
Mortes decorrentes de intervenção policial serão tema de reunião no MPE (Ministério Público do Estado) na próxima sexta-feira, dia 27, em Campo Grand...
MPE quer criar grupo especial para fiscalizar ações da PM e Polícia Civil
O MPE (Ministério Público Estadual) irá acompanhar mais de perto a atividade policial por meio da criação do Gacep (Grupo de Atuação Especial de Cont...
Câmara de Vereadores entrega meio milhão de reais em emendas parlamentares
A Câmara Municipal de Costa Rica, a 305 quilômetros de Campo Grande, realiza nesta segunda-feira (dia 11) três sessões, duas delas especiais. Às 14h ...


Quando um policial em cumprimento do dever morre nas mãos de um parasita desses, ele entra para a lista de policiais mortos em serviço ,mas quando acontecesse dele matar em desocupado desses, até mesmo para proteger a vida de terceiros e a própria, ele é investigado e condenado .Porque o ministério publico não se preocupa em auxiliar as viúvas e filhos desses policiais. Tem sim que se apurar os abusos porque as vezes injustiças são feitas, mas um cidadão de bem, trabalhador e cumpridor de seus deveres e em sã consciência não se arma para atacar a policia .
 
Valquiria Santos em 28/03/2015 09:40:25
As autoridades estão preocupadas com a quantidade de pessoas mortas pela polícia. Precisa saber se estas pessoas que morrem em confronto com policiais nunca tiveram passagem. Aposto que a grande maioria já teve passagem. Não são santos. se fossem não enfrentariam a polícia.
 
MARCOS CAETANO DA SILVA em 27/03/2015 17:22:22
Tem gente que não sabe o que é Polícia, eu conheço vários Policiais HONESTOS que sofreram injustiças por parte da sociedade através de denúncias infundadas que foram parar na CORREGEDORIA e com certeza a CORREGEDORIA da PMMS não deixou por menos, investigou até o final, ouvindo todas as PARTES e não protegendo ninguém.
O integrantes da CORREGEDORIA da PMMS são postado de uma grande honestidade, confiança e integridade moral.
Como disse acima, o referido Policial efetuou deslocamento para Campo Grande deixando a sua família no interior, somente para se defender de denúncia infundada, mas tudo foi esclarecido através de sindicância elaborada pela CORREGEDORIA.
Deixo bem claro que a CORREGEDORIA da PMMS é JUSTA e IMPARCIAL.
 
Verissimo em 27/03/2015 16:55:26
QUEM NÃO DEVE NÃO TEME!! Se forem policiais honestos, desses q não humilham pessoas de bem, nada tem a temer! O q não pode é se ver policiais envolvidos c/ crimes e serem protegidos por 'colegas' ou delegados ou superiores, na intenção de acobertar crimes ou se valerem de pretensa 'autoridade' p/ humilharem pessoas de bem e depois se houver reclamações, sabem q são protegidos pela Corregedoria, órgão inepto formado por seus próprios 'colegas' ! TODA PUNIÇÃO PARA POLICIAL BANDIDO E CORRUPTO É POUCA!!
 
antenor assis de figueiredo em 27/03/2015 16:20:45
Infelizmente ninguém esta preocupado com o Policial de uma forma geral, eu quero ver aonde isso vai parar, os Policiais acabarão deixando de confrontar com os criminosos com medo de ter que tirar dinheiro do próprio sustento para pagar advogado.
Todos querem fiscalizar a Polícia, mas ninguém quer subir o morro e trocar tiro com bandidos.
É pastoral carcerário, igrejas disputando presos para se converter, OAB, Direitos Humanos, Imprensa, Políticos, todos se preocupando com os " infratores da sociedade "
Como isso vai terminar é muito simples, o Policial vai fazer de conta que trabalha, vai esperar o fim do mês receber o salário e desfrutar com a sua família, e o resto da sociedade que se protejam da melhor maneira que puder.
o Policial tem como proteger a sua família, o restante............
 
Verissimo em 27/03/2015 15:22:33
QUERIA VER SE FOSSE O CONTRÁRIO. UM POLICIAL MATANDO UM VAGABUNDO !!! JA TERIAMOS EM CIMA DO CASO NÃO SÓ O MP MAS A OAB, COMISSÃO DOS DIREITOS HUMANOS, COMISSÃO DA ONU, COMISSÃO DO MINISTÉRIO DOS MAIORES ABANDONADOS... O PREFEITO... O GOVERNADOR... E MAIS UM MEIO MILHÃO DE GENTE QUERENDO LINCHAR O PM.
 
JK em 27/03/2015 14:41:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions