A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018

28/11/2010 08:14

MS copia modelo paranaense usado na segurança de Uneis

Redação

O Grupo de Escolta, Segurança e Proteção que será criado para atuar nas Uneis (Unidades Educacionais de Internação) será baseado em um modelo paranaense que já é desenvolvido desde 2006 pelo Instituto de Ação Social do Paraná.

O programa que já é executado no Paraná pontua cada tipo de ocorrência que pode acontecer e aponta quais as orientações para as situações.

Os tópicos apresentam a definição das ocorrências, quais as providências cabíveis e mostra as regras para a ação durante o caso excepcional.

O gerenciamento de crises também é amplamente explicado e são indicadas nas situações limite para o uso da força.

De acordo com o superintendente de Assistência Socioeducativa, Hilton Villasanti, a criação de um grupo especializado em escolta e na gerência de crises era avaliada desde o primeiro semestre de 2009.

As ocorrências que envolviam o deslocamento de adolescentes justificam a necessidade de ação especializada.

A escolha dos servidores que integrarão o grupo obedecerá critérios específicos, como preparo físico.

O curso oferecido dará aos agentes noções mais aprofundadas sobre o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e também apresentará formas de negociação em caso de crise.

No entanto, o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, já antecipou que as aulas só começam no ano que vem.

A resolução da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública que cria o grupo prevê que ele seja formado por servidores dos quadros da Superintendência de Assistência Socioeducativa, previamente selecionados e capacitados para a atividade.

O transporte e a condução de adolescentes internados, quando em deslocamento externo, serão realizados em veículo próprio da instituição com a devida escolta.

O Grupo de Escolta deve atuar também no gerenciamento, contenção e restabelecimento da ordem em situações de crises dentro da unidade e poderá contar, quando houver a necessidade, com o apoio de outras instituições especializadas.

O equipamento utilizado pelo grupo será composto de armas não letais de proteção e contenção.

A criação do grupo foi anunciada depois da última rebelião, que deixou três agentes feridos e terminou com a fuga de 14 internos. O tumulto ocorreu no fim da tarde de 13 de novembro.

Mais de cem empresas são notificadas por não cumprirem lei de aprendizagem
Mais de cem empresas foram notificadas por não cumprem a Lei de Aprendizagem em Mato Grosso do Sul. Segundo a Superintendência Regional do Trabalho, ...
Universidades terão incentivo de R$ 10 milhões a projetos de combate a obesidade
Chamada pública do Ministério da Saúde incentiva universidades públicas e privadas a desenvolver projetos com ações de prevenção, diagnóstico e trata...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions