A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

27/01/2017 17:05

Na área de risco para febre amarela, MS tem maior parte da população imune

SES descarta possibilidade de surto da doença no Estado

Anahi Zurutuza e Christiane Reis
Jair de Freitas, 55 anos, tomou a dose por recomendação da empresa onde trabalha (Foto: Alcides Neto)Jair de Freitas, 55 anos, tomou a dose por recomendação da empresa onde trabalha (Foto: Alcides Neto)
Fila na porta da sala de vacinação no posto do Tiradentes; parte das pessoas, procurava a vacina contra a febre amarela (Foto: Alcides Neto)Fila na porta da sala de vacinação no posto do Tiradentes; parte das pessoas, procurava a vacina contra a febre amarela (Foto: Alcides Neto)

Embora Mato Grosso do Sul esteja na área de risco para a febre amarela, segundo o Ministério da Saúde, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) descarta a possibilidade de surto da doença no Estado. De acordo com a secretaria, a maior parte da população está imune.

Por meio da assessoria de imprensa, a SES orienta que na dúvida, a pessoa procure os postos de saúde para verificar se a vacina contra a febre amarela, que tem validade de dez anos, está em dia. 

O médico infectologista, Rivaldo Venâncio, reforça a importância da vacinação, mas também garante que não há motivo para pânico. “Quem ainda não vacinou está em tempo de fazê-lo”, disse.

A secretaria explica que como o Estado está na área endêmica, a vacina sempre está disponível e que a maior parte das pessoas já tomou, por isso, fica descartado o risco de epidemia.

Ainda segundo a SES, se casos forem registrados no Estado, provavelmente serão de pessoas de fora, que nunca se vacinaram, e passaram por Mato Grosso do Sul.

É o caso da primeira suspeita registrada neste ano. Trata-se de paciente de Santa Catarina que esteve em Bonito – a 257 km de Campo Grande – em dezembro. 

De 2010 para cá, duas pessoas que contraíram a febre amarela em Corumbá – a 419 km de Campo Grande – e em Bonito – a 257 km da Capital – morreram. O último caso foi em 2015 e se trata de um turista paranaense que morreu no Estado do sul do Brasil depois de passar uma temporada em Bonito.

Nos postos – Por conta do surto de febre amarela no país, fez a população procurar os postos de saúde para se imunizar.

Orientado pela empresa na qual trabalha, e também preocupado com as notícias que acompanha, o motorista Jair de Freitas, 55 anos, foi ontem à tarde até a UBS (Unidade Básica de Saúde do bairro Tiradentes para se vacinar.

“Faz muito tempo que eu vacinei, nem lembro mais e com tanto caso no Brasil é melhor vir ao posto mesmo e se prevenir”, disse.

O mesmo ocorreu com a estudante Mariana Oliveira, 21 anos. “Eu perdi minha carteirinha e não sei quando fui vacinada então vim verificar a questão da febre amarela e já colocar em dia o que der”, disse.

Recomendações – Segundo informações do site oficial do Ministério da Saúde, o esquema de vacinação da febre amarela ocorre em duas doses, tanto para adultos quanto para crianças. As crianças devem receber as vacinas aos nove meses e aos quatro anos de idade, garantindo assim a imunização para o resto da vida.

Para quem não tomou as doses na infância, a orientação é de uma dose da vacina e outra de reforço, dez anos depois da primeira.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions