A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 18 de Agosto de 2018

08/12/2016 17:08

Nas estradas só 2% dos passageiros de ônibus usam cinto de segurança

Alberto Dias
Governador e parceiros lançam campanha pelo uso do cinto em ônibus pelas rodovias. (Foto: Alberto Dias) Governador e parceiros lançam campanha pelo uso do cinto em ônibus pelas rodovias. (Foto: Alberto Dias)

O uso do cinto de segurança tornou-se comum entre motoristas nas cidades e rodovias, porém, dentro dos ônibus e vans que transitam de uma cidade para outra, apenas 2% dos passageiros usam este equipamento obrigatório, conforme dados divulgados pela Agepan Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul. Um dos motivos é a dificuldade do motorista em conferir cada um dos assentos.

O baixo índice assusta, e motiva uma campanha educativa lancada nesta quinta-feira (8) pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB). "Queremos mostrar que colocar o cinto aumenta a segurança de quem usa o transporte coletivo e reduz o número de vítimas em acidentes nas estradas", alertou Azambuja, durante evento que lançou a campanha na tarde desta quinta-feira (8), na sala de reuniões da governadoria.

Questionada sobre possíveis penalidades, a procuradora da República Danilce Vanessa Arte Ortiz Camy, explica que a penalidade existente recai sobre o condutor, porém, admite a dificuldade em aplicar esta regra em coletivos. "Na prática, é complicado cobrar do motorista que, além de conduzir o veículo, ainda cuide o uso do cinto de segurança de todos os passageiros. Por isso, a efetiva implementação do uso do cinto passa necessariamente pela conscientização dos usuários".

No caso dos ônibus, se todos usarem o equipamento, o número de mortos e feridos num acidentes pode ser 75% menor, conforme estudos da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

Campanha - Durante 90 dias, motoristas e passageiros serão impactados por mensagens que buscam, além de informar, criar o hábito para o uso do equipamento nos ônibus e vans que trafegam nas rodovias. Para tanto, valerá lembrar que um passageiro que não usa o cinto durante um acidente tem quatro vezes mais chances de se machucar.

As ações incluem a distribuição de panfletos e orientação aos passageiros nos terminais rodoviários e também nos postos da PRF (Polícia Rodoviária Federal); palestras em escolas e outras instituições, banners em sites com links para dicas e informações sobre o tema; anúncios na rádio e TV Educativa, entre outras.

Diversos parceiros contribuem para a campanha, como a concessionária CCR MS Via; MPF (Ministério Público Federal); Procuradoria da República/MS; ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre); PRF (Polícia Rodoviária Federal); Observatório Nacional de Segurança Viária. Conforme o governador, parte da verba partiu do orçamento da própria Agepan. 

Obrigatoriedade - Desde 1999 todos os ônibus rodoviários são obrigados a sair de fábrica como cinto de segurança em cada poltrona. Porém, a falta de uso contribui para os 15 mil ferimentos e as duas mil mortes ocorridas anualmente nas estradas brasileiras. Em Mato Grosso do Sul, a Portaria 138 da Agepan, exige que os passageiros sejam informados sobre a obrigatoriedade do uso dos cintos antes de cada viagem.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions