A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

20/01/2012 17:30

Oficiais da PM repudiam ação da OAB e Adepol sobre presos em viaturas

Edmir Conceição

Depois da reação da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado, a Associação dos Oficiais Militares e Clube dos Oficias da Política Militar e Bombeiros Militares divulgaram nota de repúdio à ação movida pela OAB-MS e a Adepol (Associação dos Delegados de Polícia em que os policiais militares são acusados de manter por várias horas os presos nas viaturas, ao invés de serem levados logo para as delegacias. De acordo com a OAB-MS, os presos são encaminhados à Polícia Civil horas depois de serem detidos.

“A Polícia Militar atende uma média de 300 ocorrências por dia só na Capital e mesmo assim somente duas delegacias de polícia recebem presos em regime de plantão, o que pode evidenciar as dificuldades que a PM tem no momento de apresentar ocorrências, é por isso também, que faltam viaturas para atender a todos os chamados”, nota o major Admilson Cristaldo Barbosa, diretor de Comunicação Social da Associação dos Oficiais Militares da PM.

Os oficiais da PM, segundo a associação, receberam com ‘surpresa’ a ação da OAB-MS, mas ressalva que mais que observar os direitos humanos, a Ordem expõe uma divisão corporativa. “Ha também uma briga de vaidades, uma briga por poder, uma briga por espaço institucional e uma briga política onde o verdadeiro cidadão é que sai nocauteado, ainda no primeiro “round”, e nada tem a ver com proteção dos direitos humanos, tampouco com o interesse de que o psicológico dos presos sejam preservados”, diz a Associação dos Oficiais da PM em nota enviada ao Campo Grande News.

Íntegra da Nota - É a seguir a íntegra da nota da Associação dos Oficiais e Clube dos Oficiais da PM e Bombeiros:

EU QUERO O SEU PRESO!

Surpresa! Esta é a palavra que pode melhor definir a forma com que Policiais Militares do Estado de Mato Grosso do Sul, receberam a notícia veiculada nos sites de notícias com o título: “OAB entra na Justiça contra PM por manter durante horas presos em viaturas”, seria cômico se não fosse trágico, importante órgão representativo de classe deixar-se induzir a prestar este papel.

A alegação de que presos são indistintamente mantidos durante horas no interior de viaturas da Polícia Militar até sua apresentação à Delegacia de Polícia, ferir os direitos humanos e a legislação vigente é o embasamento para tal medida anunciada pela OAB.

Quem desconhece a prática policial, quem desconhece a legislação vigente tem dificuldade de entender como isso se dá e a forma como é interpretada, então, vamos tentar aqui ajudá-los a interpretar melhor estes fatos.

A Polícia Militar possui como missão constitucional a preservação da ordem pública e o trabalho de polícia ostensiva, portanto, responsável imediato por manter e restaurar a ordem pública e daí sua presença maciça nas ruas em contato direto com a população, tornando-se bastante fácil entender que é o primeiro órgão do Estado a chegar no momento em que o fato está ocorrendo ou mesmo acabou de acontecer.

É fácil compreender também que, ao chegar ao instante em que o ato está ocorrendo ou acabou de ocorrer, as informações são menos contraditórias, os detalhes são melhores descritos pelas testemunhas e na maioria das vezes a situação de flagrância ainda está presente.

Então imaginemos uma cena bastante cotidiana: Dois “cidadãos” (como prefere a OAB e a ADEPOL- Associação dos Delegados de Polícia) entram em sua residência, apontam-lhe uma arma de fogo, mantém seus filhos em risco iminente e subtraem seu carro. A vítima se lembra das características dos indivíduos e conhece as de seu veículo e repassa à Polícia Militar que passa a diligenciar em busca dos autores. De posse destas informações, a Polícia Militar localiza um dos autores que afirma que o segundo indivíduo é quem está com a arma utilizada no crime, bem como, com o carro roubado e que este seria em seguida levado ao Paraguai. Se este fato ocorreu no bairro das Moreninhas a OAB e a ADEPOL pretendem que esta equipe da PM, simplesmente se desloque para a região central de Campo Grande, já que no bairro Moreninhas, com uma população maior que vários municípios de MS, não possui uma Delegacia de Polícia de Plantão para apresentar os fatos e o eventual “preso”, ou isto pode ser ainda pior, já que teria de conduzir as partes antes de sanear todas as diligencias e assim deixar de reunir materialidade.

Os Policiais Militares agem conforme entendimento majoritário da legislação Processual Penal, baseando-se no instituto da repressão imediata, continuam as diligências com o intuito de localizar seu veículo injustamente subtraído, prender o autor e retirar da sociedade outra arma de fogo que permite uma série de crimes bárbaros.

O próprio Código de Processo Penal Brasileiro estabelece em seu artigo 302 que, se o autor de crimes é perseguido LOGO APÓS em situação que faça presumir ser autor da infração, ou, se encontrado LOGO DEPOIS com instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser ele autor da infração, será considerado em flagrante delito.

Daí então, indagamos o que é LOGO APÓS? O que o legislador quis dizer com LOGO DEPOIS, senão permitir que se reprima imediatamente os crimes. Ainda uma perseguição com interrupção é perseguição?

A sociedade espera que esta repressão se dê imediatamente, é o que desejava o legislador, mas de maneira contrário senso, a ADEPOL espera ver esta repressão acontecer após a conclusão de inquérito policial, de no mínimo 30 dias, mas na maioria dos casos, meses e até anos.

A Polícia Militar atende uma média de 300 (trezentas) ocorrências por dia só na capital e mesmo assim somente duas Delegacias de Polícia recebem presos em regime de plantão, o que pode evidenciar as dificuldades que a PM tem no momento de apresentar ocorrências, é por isso também, que faltam viaturas para atender seu chamado.

Há também outros problemas na recepção dos presos nas Delegacias de Polícia, ou então tente você mesmo registrar um boletim de ocorrência e verá o tempo-resposta.

É patente a dificuldade de definir qual é a delegacia responsável por atender determinado caso, um verdadeiro “jogo de empurra”, não raras vezes policiais militares ficam por horas tentando apresentar presos e fatos, mas após percorrerem vários quilômetros, por várias delegacias e esperar por várias horas com o preso no interior de viaturas, tem de recorrer a outros recursos que não o bom senso para encerrar seu trabalho.

Mas há também uma briga de vaidades, uma briga por poder, uma briga por espaço institucional e uma briga política onde o verdadeiro CIDADÃO é que sai nocauteado, ainda no primeiro “round”, e nada tem a ver com proteção dos direitos humanos, tampouco com o interesse de que o psicológico dos presos sejam preservados.

O TCO (termo circunstanciado de ocorrência) seria importante ferramenta para diminuir o tempo-resposta no atendimento de ocorrências policiais, porém, mesmo com entendimento pacificado (Ação Direta de Constitucionalidade nº 2862) há vários anos pelo STF (Supremo Tribunal Federal) de que a Polícia Militar é competente para executá-lo, até hoje a PMMS não pode fazê-lo, por simples entendimento administrativo da SEJUSP (Secretaria de Estado Justiça e Segurança Pública), que certamente atende interesses da ADEPOL.

É preciso refletir, conhecer a verdade para que se possa entender o que de fato acontece.

O nosso compromisso é com a vida. O nosso compromisso é com o bem estar da sua família. O nosso compromisso é com a correção das nossas dificuldades, mas focados no bem estar da sociedade.

Enfim, a quem interessa o “engessamento” da Polícia Militar? Quais os benefícios desta representação na sociedade? A quem interessa prejudicar o momento de mais alta produtividade e alta estima do efetivo da Polícia Militar? Porque os doutos membros da ADEPOL não se interessam em ações que permitam a integração dos órgãos de segurança pública? Poderíamos estar focados em outros assuntos mais importantes para a sociedade do que estes que nos tomam tempo, geram desgastes e causam prejuízos, inclusive financeiros, já que com certeza tal demanda seguirá várias instâncias do Poder Judiciário, talvez encerrará em Brasília no plenário do STF que, com certeza, primará pela defesa do sociedade Sul-Mato-Grossense.

ADMILSON CRISTALDO BARBOSA – MAJ PM – DIRETOR DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA AOFMS – ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS MILITARES DO MS/CLUBE DOS OFICIAIS PM/BM-MS

Associação dos Cabos e Soldados repudia ação da OAB sobre denúncias de presos mantidos em viaturas
Após a OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil) e a Adepol (Associação dos Delegados de Polícia de Mato Grosso do Sul) ingressarem com ação contra a PM...
OAB entra na Justiça contra a PM por manter durante horas presos em viaturas
A OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil) vai ingressar com ação contra a Polícia Militar por deixar presos dentro de viaturas ao invés de encaminhar ...
MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...


Isso é tudo balela...o que os oficiais querem é aproveitar a carona numa PEC q tramita no Congresso Nacional, que daria direitos a eles de serem Autoridades Policiais (leia-se Delegados de Polícia), fato hoje é que são apenas Agentes da Autoridade Policial, isto dispensariam eles de ter q prestar concurso público, ou seja entrariam pelas portas dos fundos...
 
Ralph Gren em 24/01/2012 08:35:22
Policiais civis por favor me respondam: Porque quando a Policia Militar chega na delegacia (todas) para entregar uma ocorrência, principalmente quando é um flagrante, se estiver faltando 1 hora, ou as vezes mais, pra encerrar o plantão vcs não recebem mais a ocorrência da PM e ficam enrolando até chegar o próximo plantão, PORQUE?
 
Paulo Oliveira em 23/01/2012 12:52:58
Até que enfim apareceu um representante policial militar do oficialato superior para mostrar nossa indignação e a realidade fatídica, parabens MAJ PM ADMILSON C B. Não precisamos falar muito. Cidadãos comuns conhecem o brilhante trabalho da PM, em prol da sociedade em geral e não só dos privilegiados, veiculado por todo tipo de mídia diariamente em todo MS e BRASIL.
 
alicio lima rodrigues em 23/01/2012 10:31:03
Sempre me pergunto para quem é esse "Direitos Humanos"; nunca em toda minha vida, vi ou soube de algum representante que fosse visitar uma vítima ou até famílias inteiras, vítimas de bandidos algozes. Pessoas que até tiveram perdas de seus entes, ou ficaram com sequélas causadas por violências de bandidos. Isso além do psicológico abalado. Já tiveram alguém de sua familia que sofreu estupro?
 
ALICIO LIMA RODRIGUES em 23/01/2012 10:16:45
Por que não foi a própria Polícia Militar e sim duas entidades associativas de oficiais pm que responderam à ação da Adepol e da OAB/MS? Será que os oficiais discordam da própria corporação?
 
Julia Saboia em 23/01/2012 06:49:06
prendam a policia e chamem os bandidos assim estaremos todos seguros, ja que tem tantos bandidos sendo defendido eles devem ser todos bonzinhos , respeitosos, amigaveis,só advogado chave de cadeia pode pensar desse modo tem pressa pra defender e receber!!!!!!!!!
 
antonio rocha em 22/01/2012 08:59:54
Eu como cidadao que pago meus impostos,acho que cada vez mais a policia perde seu poder,ja fui roubado e vi que esses algozes nao tem piedada de niguem.Fui chamado de vagabundo porque nao tinha o que eles queriam,OAB defenda os direitos dos cidadaos e deixa a policia fazer o trabalho brilhante que tem feito em nosso estado.
 
junior celso em 21/01/2012 12:54:28
esta é para ocidadão que teceu o infeliz comentário sobre quem vai preso por pensão alimenticia,a entrega desse povo nas delegacia é rápida,pois não há nescescidade,de efetuar diligências,da proxima vez,procure interar-se sobre o assunto para não pagar mico.
 
francisco da silva em 21/01/2012 12:38:31
A prisão de furto é feita as 21:00 horas e a PM aparece 06:00 horas da manhã na Delegacia e quer ser atentida imediatamente, existe o auto de prisão em flagrante, as peças, comunica ado ao Juiz, Promotor, encaminhamento dos preso etc. Senhores oficiais, antes de criticar a Delegacia, contem o nosso efetivo e quantidade de pessoas a serem atentidas nos plantões.
 
JOÃO DE PAULA em 21/01/2012 12:16:49
Abordar e conduzir não são o bastante para a Polícia Administrativa, deve-se ir além, ou seja, buscar mais elementos do mesmo fato. Aqui não se entra na seara da Polícia Judiciária é atribuição de quem iniciou o atendimento da ocorrência.

 
Wesley Freire de Araújo em 21/01/2012 12:00:18
A Polícia Militar pode e deve realizar levantamentos imediatos para substanciar o flagrante. Isso faz parte da missão constitucional da Polícia Preventiva, de preservar a ordem pública e de realizar o policiamento preventivo. Não há o que se falar em desrespeito ao direito do cidadão que foi preso, pois se assim não proceder a Polícia Militar, não se terá elementos suficientes para a condenação.
 
Wesley Freire de Araújo em 21/01/2012 11:53:12
Estou aplaudindo em pé, a belíssima matéria, parabéns!!! Não precisamos provar nada a sociedade, todos já sabem quem trabalha de verdade no combate a criminalidade, quer na prevenção ou na repressão. O que a OAB precisa interferir é no péssimo atendimento dos policiais civis nas delegacias de polícia, tanto no recebimento de presos como no atendimento ao publico.
 
Sidnei Garcia em 21/01/2012 10:30:37
Meus parabéns Admilson, só gostaria de dizer para o senhor Arthur que entre outras funções o Oficial de policia militar, também exerce a função de policia judiciária militar e neste caso "toca" o inquérito militar e em relação ao TCO, acredito que o senhor não é da área jurídica e isso dificulta o entendimento sobre o real objetivo deste importante instrumento para a vida do VERDADEIRO CIDADÃO.
 
gilberto dos santos em 21/01/2012 10:26:56
Parabens major pela brava luta e de todos os PMS que tentam fazer o seu serviço na medida do possivel enquanto outros tentam puxar seus tapetes, isso é pq nuncam tiveram um bandido dentro da casa deles,que nossa policia continue fzendo seu trabalho tirando os ratos da sociedade brilhantemente parabens PMs pelo serviço prestado.
 
silvia mota em 21/01/2012 10:01:19
Por essas atitudes,de quem não tem oq fazer,q nós brasileiros,vivemos no caos,em termos de segurança.A policia age,faz o serviço.e ainda vem alguns,pra criticarem o trabalho da policia.Por que,esses maus elementos,não roubam,não matam maus elementos,e sim pessoas do bem,trabalhadores,idosos,novos.Enquanto tiver,entidades defendendo bandidos,não tem jeito,a policia eles n defendem.
 
BRAZ BUENO em 21/01/2012 08:54:55
pais complicado este nosso,daqui um tempo a policia vai ter que pedir por favor, para poder enquadrar um bandido.quem perde.o cidadao de bem,que e assaltado sem do nem piedade.lugar de bandido e na cadeia, e nao tem que ter nenhum privilegio.segundo o meu pensamento e perdoem a minha ignorancia tem bandidos que teriam que ser eliminados.agora eu pergunto como fica o cidadao de bem?pensem nisto srs
 
jose aparicio fontoura em 21/01/2012 07:30:24
Essas ''Picuinhas'' são insignificantes já está mais que claro q a unificação das policiais em prol da sociedade seria milhoes de vezes mais eficaz em termos de rapidez e tramites judiciais todos são representantes do Estado é dever zelar e prestar bom serviço pra sociedade.Meus parabens Major Admilson já tive prazer de ter aula ministrada pelo senhor um cara que pensa além no Bem-estar sociedade.
 
leandro luzio em 21/01/2012 07:03:12
A PM muitas vezes é o único órgão do governo que está de prontidão 24 por dia nas ruas de nossa cidade pronta a dar uma resposta a nossa sociedade resolvendo problemas que em suma não constituem crimes. Ás vezes o atendimento demora por falta de estrutura como foi dito na nota. Agora perguntem a um cidadão que tentou registrar um B.O. em uma delegacia o que ele achou do atendimento para verem????
 
adriano oliveira em 21/01/2012 06:27:57
Ontem, 20/01/2012, postei um comentário sobre o tema demonstrando minha indignação pelo fato do Secretário de Segurança Pública não conseguir unir as forças policiais em prol do interesse público, por isso deveria ser substituído urgente e estranhamente não foi publicado, numa clara ofensa aos ditames constitucionais, mormente aos ideais democráticos regentes de um Estado de Direito. Que pena.
 
Rosangela Alfonso em 21/01/2012 03:55:32
Ta difícil... Direitos Humanos? Leva pra casa... Entrega na OAB esse cidadãos...
 
Sandro Benites em 21/01/2012 01:46:27
Sera melhor assim como a OAB e ADEPOL quer,se prendermos um cidadão do crime{para os delegados e a OAB} em flagante,sem as devidas provas,ficarão soltos e não precisaremos mais ir a DPC e ao FORUM no dia da nossa folga e assim teremos mais tempo para a nossa família.Hã a população que vá a delegacia ou na OAB.
 
arivaldo paiva em 21/01/2012 01:27:24
Parabéns ao major Edmilson pela explanação aos ditos entendidos de leis, pois a linguagem que a população sul mato-grossense quer ouvir de nos servidores e profissionais de segurança públicos, é uma resposta rápida, simples e que traga resultado para seu problema que naquele momento e o mais importante da sua vida. Temos sim que pedir para ter mais policiais nas ruas e dentro das delegacias.
 
robson barros em 20/01/2012 11:59:48
É lamentavel que a falta de cultura se sobresaia com tanta facilidade .! Acreditar que a açãqo da OAB , vai em confronto com os anseios do povo , é brincadeira !!! mas , facilmente se denota que as pessoas que entendem que a OAB está errada , só pode estar brincando pois , para o respeito ao cidadão brasileiro, PRIMEIRAMENTE é necessário o cumprimento as leis , e a maior delas . Prisão correta.
 
Marcos Ivan em 20/01/2012 11:28:25
OAB pede pra sair, o relato da PMMS é a pura verdade, tenta fazer um BO é um tal de empurrar de um lado para outro e o que ouvimos"...não é aqui e na Delegacia no centro...", por que essa preocupação com DIREITOS HUMANOS de bandidos que matam, acabam com a dignidade de famílias; fogueiras das vaidades, a quem interessa esse racha?, OAB vocês são uma comédia.
 
Nery Ribeiro em 20/01/2012 11:21:29
É muito facil! Quem quiser tocar Inquérito e TCO, é só fazer concurso para Polícia Civil. Fazer concurso para uma coisa e querer fazer outra é que não esta certo; e quem assim proceder estara sempre insatisfeito infeliz e reclamando, achando que o serviço de outrem é que esta errado.
 
Arthur Kosloski em 20/01/2012 10:54:50
Srs da OAB peço que acompanhem apenas e tão somente uma noite na Depac, sem se apresentarem como membros da OAB. E entenderam o pq da deficuldade em entregar um preso. O simplesmente tenter registrar um BO. Em um abado a noite.
 
Carlos Nunes em 20/01/2012 10:42:42
Amigos da OAB, ja faz 10 anos que sai cêdo de casa para trabalhar, no meio da tarde fui vitima de um assalto, e hoje estou presa ha uma lesão na coluna e perda da voz, os ladrões ja foram soltos e um deles cometeu um assassinato brutal, pouco tempo depois....perdi minha filhinha e o rumo de minha vida....e vces tem pena de bandido!!!! isso é o Brasil!!!
 
daniela rodrigues em 20/01/2012 10:38:57
Sra Eva como que vai deixar só um pm na Delegacia mexendo com a papelada, então a Sra indica quem vai cuidar o preso, que só será recebido após preenchimento do boletim. é melhor deixar este assunto para quem entende. Acontece que a AOB e a ADEPOL guspiu para cima e caiu na cara.
 
jorge ferreira em 20/01/2012 10:08:48
Parabéns à Associação dos Oficiais que está totalmente em consonância com os anseios dos cidadãos de bem. Todos sabem que se o bandido chegar a ser condenado será graças a açao imediata da Polícia Militar. Parabéns também aos policiais civis que não coadunam com essa picuinha e trabalham em conjunto com a Polícia Militar no que interessa que é atender a comunidade.
 
andre macedo em 20/01/2012 10:01:34
parabens, Maj, pela sua coragem de expor uma verdade que a muitos anos vem se arrastando e ninguem de "expleção" tem peito para falar ou expor na midia...isso vem nos mostrar que temos ainda autoridades que merece o nosso respeito...e me vem a pergunta...... A quem interessa isso??????
 
mauricio vilalba de oliveira em 20/01/2012 10:01:20
uma capital como a nossa deveria ter todas as delegacias funcionando 24 hs,
 
claudinei braz de lima em 20/01/2012 09:52:39
Gostaria de dizer pra dona Eva que não é assim que funciona, pois todos os policiais envolvidos na ocorrência podem ser ouvidos pela autoridade policial . Muitas vezes os policiais trabalham em duplas e como um policial ficaria no DP e outro voltar a atender a sociedade sozinho ? Muitas vezes nosso maior inimigo são as Leis ! Parabéns ao Maj disse tudo !!
 
george conrado em 20/01/2012 08:50:10
Major Admilson, parabenizo a sua pessoa "Associação dos Oficiais da PMMS" pela atitude nobre de representar todos os Policiais Militares "Oficiai e Praças" na resposta inteligente e verdadeira divulgada na imprensa.Conte com meu apoio.

Major Flavio Luis Filiú da Silva
 
flavio luis filiu da silva - Major QOPM em 20/01/2012 08:41:48
Faço uma sujestão a OAB/MS, recebam voces estes detidos em sua sede, protegendo-os com essa falácia de "Direitos Humanos", e deixem a PM realizar seu trabalho de limpeza da bandidagem que tomou conta da nossa Capital! assim pelo menos estarão prestando algum serviço útil a nossa população!
 
Carlos Irineu Gonzales em 20/01/2012 08:27:54
é brincadeira essa palhaçada!!! pq que a OAB não entra na justiça contra a mortandade de pacientes que ficam mais do que "horas" esperando atendimento médico...palhaçada mesmo!!! quem tá "andando" em "camburão" - pode até ser inocentado no final...mas que fez alguma coisa para estar ali...ah..isso fez!!! enfim o que vejo: vaidade...só vaidade...
 
laercio souza em 20/01/2012 08:11:50
surpreso mesmo éa insastifaçao da policia em acatar oque se entende de qualidade do serviço prestado e exposiçao da pessoa nas maos da policia . sou a favor sim.
precisa melhorar e muito. e nao é muito pouco nao . é muito mesmo!
porque se rebelar contra uma boa açao!
e se o preso for um pensao alimenticias , um crime sem violência !
vamos pensar MS!
 
janilson cavalcante em 20/01/2012 08:07:44
Tem meu total e irrestrito apoio a polícia militar. Parabéns!
 
Bergo de Almeida em 20/01/2012 07:58:26
Essa atitude da OAB não merece comentário. É como se neste país não houvesse problemas mais urgentes a serem tratados por instituição que se diz tão imprescindível. Mais uma para que a bandidagem se sinta fortalecida. E o cidadão que se vire para se proteger. Nada como viver num país "sério". Que o diga De Gaulle!
 
ANTONIO EURICO DA SILVA FILHO em 20/01/2012 07:11:07
Nunca vi a OAB entra com UMA ação que beneficiasse de verdade o povo trabalhador. Sempre estão defendendo direito de bandido, estuprador ou politicos.
 
Adriano Maciel em 20/01/2012 06:50:56
Esta Nota enviada pela Associação dos Oficiais da PMMS vem mostrar tão somente a realidade, a verdade nua e crua do que acontece quando Policiais Militares tentam entregar presos nas Delegacias. Ficam por vezes horas aguardando a boa vontade do delegado; inclusive já tiveram casos em que guarnições passaram boa parte do dia, e até noites inteiras em delegacias para conseguir entregar um preso.
 
José Fernandes em 20/01/2012 06:35:21
Muito bem major Admilson Cristaldo Barbosa nós policiais militares sabemos o quanto é dificil trabalhar no patrulhamento diário e ainda ter que passar por estas situações, tudo o que o SR mencionou é nada mais nada menos do que acontece no dia dia o SR está de parabéns e conte com a tropa para o que der e vier.
 
wanderleypereira em 20/01/2012 06:32:03
Olha, se a OAB está reclamando do tempo em que os meliantes ficam presos logo após a prática do ato delitivo, faço minhas as palavras da Associação dos Oficiais Militares. Tenha a santa paciência! Sou advogado e não vejo nada que a Ordem dos Advogados tenha feito te importante principalmente na presente gestão. Nossa seccional deveria cuidar principalmente da nossa instituição, que está bagunçada.
 
Rogério Luiz em 20/01/2012 06:30:32
Sou servidora pública estadual do sistema prisional e parabenizo o major Admilson Cristaldo pela exposicao das dificuldades que a Policia Militar de Mato Grosso do Sul tem em atuar em defesa da populacão, com certeza são as mesmas dificuldades que enfrentamos no nosso trabalho no dia-a-dia nas Unidades Prisionais, pois faltam investimento em Seguranca Publica.
 
rita de cassia alves da cunha santana em 20/01/2012 06:23:28
Para entregar um preso na delegacia fica a viatura e a guarnição inteira parada, deixa um PM no local preenchendo as papeladas e volta a servir a população.
Deste jeito falta viatura mesmo, todos parados em delegacia.
 
Eva Gomes em 20/01/2012 06:19:19
Tá difícil para a PM trabalhar desse jeito.
 
claudio gonçalves em 20/01/2012 06:09:20
O que está faltando é mais profissionalismo, dinamismo e vontade de servir à população que é quem paga , de forma adiantada, pelos serviços policiais; Mais trabalho e menos política; Não esqueçam o juramento que fizeram de sempre, em qualquer situação, servirem à sociedade; Façam isto e cumpra com as suas obrigações constitucionais.
 
ALMIR DE ALMEIDA em 20/01/2012 05:56:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions