A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

28/09/2012 10:45

Operação na fronteira contabiliza apreensão de 1,4 t de droga em 8 dias

Paula Vitorino
Orgãos de segurança apresentaram resultados da Operação Cerco, nesta manhã. (Foto: Rodrigo Pazinato)Orgãos de segurança apresentaram resultados da Operação Cerco, nesta manhã. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Pela primeira vez, todos os órgãos de segurança em Mato Grosso do Sul estão reunidos em uma única operação para coibir que a fronteira seja utilizada como porta de entrada e saída para crimes, principalmente o roubo de camionetes brasileiras.

No balanço parcial divulgado nesta manhã, entre policia estadual e federal, foram 12 veículos recuperados, 30 presos e dois adolescentes apreendidos, 1.498 quilos de drogas, 2 armas, 2.183 pacotes de cigarros, 120 munições e 128 multas.

A Operação Cerco começou no dia 20 e termina hoje, mas a intenção é que as ações se tornem permanentes, de acordo com o secretário de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini.

A união das forças de segurança acontece há cerca de um mês do assassinato de dois universitários após sequestro na saída de bar da Capital. O objetivo dos bandidos era vender o veículo na Bolívia. O crime, aliado aos outros diversos casos semelhantes, gerou grande comoção em toda a sociedade, motivando até audiência pública na OAB-MS.

Jacini explica que “em decorrência desse fato e de outros nós demos foco a esse tipo de crime, que visa às camionetes”.

Com o policiamento integrado, o objetivo é prevenir que o crime chegue até a área de fronteira. “A área fronteiriça é muito grande, não temos como fazer uma barreira em toda a fronteira, então queremos impedir que os criminosos cheguem até essa área”, explica.

No balanço parcial divulgado nesta manhã, entre policia estadual e federal, foram 12 veículos recuperados, 30 presos e dois adolescentes apreendidos, 1.498 quilos de drogas, 2 armas, 2.183 pacotes de cigarros, 120 munições e 128 multas.

Os números ainda não contam com as ações da Polícia Civil, que investigam uma quadrilha de roubo de veículos. “Investigamos esse quadrilha constantemente, mas contar com todas as forças em uma operação faz muita diferença, já que com o efetivo de um só órgão é impossível cobrir todo o Estado”, frisa o delegado geral da Polícia Civil, Jorge Razanauskas.

Apenas a Polícia Federal não está envolvida na operação. A greve dos funcionários pode ser um dos motivos para a não participação.

Fronteira - Na ação ostensiva de segurança na fronteira, a preocupação das autoridades do lado brasileiro também é com a cooperação do governo dos países vizinhos, principalmente Paraguai e Bolívia.

“Nós fazemos fronteira com os maiores produtores de cocaína e maconha do mundo. Nosso Estado sofre por ser corredor dessa droga, que depois é distribuída por diversos estados”, diz o secretário.

Ele afirma que a cooperação do lado paraguaio é maior, mas que em relação a Bolívia o diálogo é mais difícil. “Isso por questões políticas deles”, esclarece.

A Bolívia é um dos países apontados pelos órgãos de segurança como “narcoestados”, ou seja, onde o narcotráfico está infiltrado e interfere no governo do país.

Sobre as investigações da quadrilha que roubou e matou os dois universitários, no dia de agosto, Jacini disse acreditar que se as investigações já estariam mais adiantadas se envolvessem o Paraguai e não a Bolívia. A Polícia apontou que uma pessoa de Corumbá seria o receptador do veículo, mas nenhum suspeito foi preso.

Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...
ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...


o que as autoridades de campo grande estão esperando para agir, na UCDB não existe sequer ficalização, sexta-feira é horrivel o trânsito em frente a faculdade, desrespeito e insegurança, isso nem se fala quanto tem show, uma baderna.
 
jose da silva em 28/09/2012 11:37:19
deveria haver algum tipo de fiscalização nas universidades, principalmente quinta e sexta-feira, tanto pela PM quanto Agetran, pois tem vários bares em frente às universidades, isso sem contar com o desrespeito de vários motoristas e motocilistas.
 
marcos silva em 28/09/2012 11:30:15
lamentável ter que fiscalizar a saída de universidades, sub-entende-se que ali estáo sendo formados os futuros: advogados, juízes, secretários, políticos... o que falta é consciência do que certo, e o exercício de valores, é o mínimo que se requer de pessoas de bem e boa consciência...Se assim o fizessem não estariamos lamentando as coisas por aqui..
 
Ronaldo Pissurno em 28/09/2012 09:01:58
Estamos em época de paz, nossa fronteira é gigante, nosso pais precisa intensificar o paturlhamento, ja que os paises vizinhos estão se ligado pra nada!
TODOS TEMOS QUE NOS UNIR PRA QUE SEJA COIBIDO TODO E QUALQUER PRINCIPIO QUE POSSA ENTRAR EM NOSSO PAIS1
SOU A FAVOR QUE AS FORÇAS ARMADA REFORCEM 24 HORAS AS TROPAS JA EXISTENTES !
 
Anderson Silva em 28/09/2012 08:48:17
Essa Droga que a policia prende é uma pequena parte do que passa pelas fronteiras enquanto eles não fizerem valer a justiça no Paraguay e Bolivia não ira conseguir diminuir nunca o trafico e consumo . A velha briga de gato e rato a policia ta tentando e jogar gasolina no fogo nunca acabará podem ate rezuir em pequenos numeros. Tem que apertar na base produtora os paises vzinho. so assim reduz
 
Randolfo Gomes em 28/09/2012 07:36:00
Sr.José da Silva.....frequentemente em frente à UCDB....a partir das 18h varias vtrs da pm ..pelotao de motos estao paradinhossss fiscalkizando e protegendo.......a segurança publica esta sim protegendo todos onde quer que estejam, mesmo que seja em instituiçoes privadasss...sem distinção!!!! reveja teus conceitos ou se atualize!! dia 24/09 havia PM e Agetran......em frente e no entorno da UCDB!!
 
michelli gomes francisco em 28/09/2012 07:30:03
é o que o país, terá que fazer 24 horas no 365 dias do ano, operações integradas, pois a sociedade paga imposto para receber o básico da Constituição Federal, SEGURANÇA, EDUCAÇÃO E SAÚDE, governos Estaduais, seja inteligentes, faça convênios urgente, com o Ministério da Defesa, EXÉRCITO, MARINHA E AERONÁUTICA, comandando as operações de segurança, aí a sociedade, verá moral, costumes e ordem.
 
pedro braga em 28/09/2012 01:37:59
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions