A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

30/07/2017 10:53

Período de seca eleva em 87% casos de queimadas em Mato Grosso do Sul

Foram 1,2 mil incêndios em vegetação e terrenos baldios, somente no mês de julho. Média de 45 ocorrências por dia.

Anahi Gurgel
Incêndio em terreno em Campo Grande, neste sábado (29). Número de registros em julho teve aumento de 87% em todo o estado. (Foto: João Paulo Gonçalves)Incêndio em terreno em Campo Grande, neste sábado (29). Número de registros em julho teve aumento de 87% em todo o estado. (Foto: João Paulo Gonçalves)

O número de incêndios em Mato Grosso do Sul somente no mês de julho teve aumento de 87% em relação ao mesmo período de 2016. Por dia, são registradas cerca de 45 ocorrências, provocadas, principalmente, pelo tempo seco que vem castigando o estado nas últimas semanas.

De acordo com o Centro de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros Militar do estado, entre os dias 1º e 27 deste mês foram registradas 1.231 ocorrências, um avanço significativo em relação às 658 do ano passado.

Segundo a corporação, as condições climáticas são o principal motivo para o salto no número de casos, já que a baixa umidade do ar favorece a propagação do fogo.

A geada ocorrida em diversos municípios na semana passada também favoreceu o aumento nos focos de incêndio, pois a vegetação "queimada" acaba se tornando combustível para o fogo.

"Além disso, o mau hábito cultural de atear fogo em lixo, terrenos baldios e afins também têm contribuído para o aumento dos casos”, informou o tenente-coronel Waldemir Moreira Júnior.

“Foram 954 registros de incêndios florestais, e isso considerando que a vegetação ainda não está totalmente seca. Quando isso ocorrer, a partir de agosto, os casos de incêndio poderão aumentar ainda mais”, alerta.

Militares combatem fogo em terreno no municípío de Corumbá. (Foto: Batalhão do Corpo de Bombeiros de Corumbá)Militares combatem fogo em terreno no municípío de Corumbá. (Foto: Batalhão do Corpo de Bombeiros de Corumbá)

As estatísticas apontam que, nos finais de semana, há aumento de 50% nos incêndios em vegetação, que se iniciam a partir de “limpeza” de terrenos e quintais usando fogo – recurso utilizado por boa parte da população.

“Até a queima controlada fica suspensa nesse período e quem for flagrado vai responder por crime ambiental”, informa.

No início do mês, o Governo do Estado publicou comunicado de alerta para o período de estiagem, considerado crítico entre os meses de julho e setembro.

Em quartéis de diversos municípios, o Corpo de Bombeiros tem atuado com equipe extra para prevenir e combater incêndios.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions