A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

19/10/2015 23:00

Polícia fecha mineradora de areia e multa fazendeiros por crime ambiental

Flávio Paes
Extração ilegal de areia foi descoberta pela Polícia Ambiental (Foto:Divulgação)Extração ilegal de areia foi descoberta pela Polícia Ambiental (Foto:Divulgação)

A Polícia Militar ambiental em fiscalização nos municípios de Amambai, Caarapó e Juti, fecharam uma mineradora de areia ilegal e autuaram dois fazendeiros por crime ambiental. Ontem à tarde (18), a equipe abordou, na rodovia vicinal que liga Amambai a Aral Moreira, um caminhão com carga de 12 m³ de areia que estava sem nota fiscal.
Os policiais foram até o local de onde estava sendo extraído o produto mineral e verificaram que a areia era retirada por uma draga do rio Cangury, onde havia mais 50 m³ explorados e uma máquina pá-carregadeira.


O proprietário da mineradora afirmou ter nota fiscal do produto que estava no veículo e foi até o local e a apresentou. Porém, sua empresa não possuía licença ambiental para a retirada de areia do rio. Os veículos e os 52 m³ de areia foram apreendidos e as atividades foram interditadas.
O infrator, de 44 anos, residente em Amambai foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil da cidade e responderá por crime ambiental. A pena é de três a seis meses de detenção. Ele também foi autuado administrativamente e multado em R$ 5.000,00.  Ele foi notificado a remover a draga do local e a recuperar a área degrada da margem do rio, onde estava instalado o equipamento.

No primeiro dia da operação, no dia 14, em uma fazenda localizada às margens da rodovia MS 156, no município de Caarapó, os policiais surpreendam um fazendeiro que utilizava água de uma nascente para aplicar agrotóxico na agricultura.

O produtor  encostava o trator na área de preservação permanente (APP) da nascente, degradando o manancial, e puxava a água com uso de moto-bomba para o tanque de agrotóxico, podendo contaminar a água e em atitude totalmente contrária às normas legais para uso de agrotóxico. O trator e o agrotóxico foram apreendidos. O infrator também foi notificado a proteger a nascente e retirar o moto-bomba

O pecuarista, de 45 anos, residente em Caarapó foi levado à Delegacia de Polícia Civil daquela cidade e foi autuado por crime ambiental. Ele poderá pegar pena de um a quatro anos de reclusão. O infrator também foi autuado administrativamente e multado em R$ 5.000,00.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions