A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

25/09/2013 12:44

Prefeitura diz que sacrifício em animais foi feita por conta da leishmaniose

Graziela Rezende

A Prefeitura Municipal de Jardim, a 233 quilômetros da Capital, após a acusação de que estaria promovendo a "matança" de cachorros de rua, saudáveis e que poderiam ser adotados, encaminhou um ofício informando que a eutanásia foi realizada com autorização, já que os animais estariam doentes e ainda propôs um convênio com ONG´s (Organização Não Governamental) que queiram a adoção.

De acordo com o assessori jurídico da prefeitura, Juliano Miranda, os animais estavam com leishmaniose. O documento diz ainda que, quando realiza o sacrifício em cães que possuem dono, este assina um termo de compromisso e autoriza o procedimento. A Prefeitura comenta que também convocou os responsáveis por uma ONG e falou da parceira, porém o local deve estar regular e com dotação orçamentária para arcar com os custos realização de exames, contratação de funcionários e tratamento de animais.

Denúncia: A matança, conforme a Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil) foi realizada às pressas, para evitar que o procedimento fosse suspenso até que a necessidade do sacrifício fosse constatada.

Ao todo, 13 animais foram sacrificados na semana passada, sendo um dia antecipado “como forma de camuflar a matança”. A comissão afirma, ainda, que a Prefeitura da cidade e Vigilância Sanitária receberam um ofício do Ministério Público para suspender o procedimento, já que foi verificado que os cachorrinhos estavam em perfeitas condições para adoção.



Não se deve matar cães para controle de leishmaniose, porque não é este animais que transmite a doença para o homem, e sim o mosquito. É burrice e uso indevido do dinheiro público usar esta tática. O que tem que ser controlado é o mosquito e isto se faz com medidas simples de higiene. O prefeito é mal informado. A cidade de Bauru promoveu uma matança de cães para acabar com a leishmaniose. A doença continua ativa lá, porque esquecerem que é o mosquito que tinha que ser controlado. Sobre os cães doentes, os mesmos devem tratados porque há cura.
 
Joao Manoel Aguilera Junior em 26/09/2013 15:32:25
É lamentável e deve ser investigado, se de fato foi um ato de crueldade ou não. Colocar assessor jurídico para justificar é no mínimo estranho, pois normalmente o responsável da pasta é que se pronuncia. Apoio essa gestão,porém, não comungo com injustiça.
 
Darlan B. Mougenot em 25/09/2013 18:19:19
parabéns prefeito jardim resta infestado de cão doente e ninguém teve coragem de enfrentar a situação.
 
ademar faria em 25/09/2013 16:49:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions