A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Abril de 2018

22/11/2017 09:23

Preso em operação tinha 4 armas e mais de 538 munições em casa

No total, 18 dos 19 mandados foram cumpridos, sendo 11 de busca e apreensão, quatro de prisão temporária e quatro de condução coercitiva em Campo Grande, Terenos, Goiânia (GO) e Brasília (DF)

Viviane Oliveira
Policiais federais saindo do condomínio onde Sidinei mora (Foto: André Bittar) Policiais federais saindo do condomínio onde Sidinei mora (Foto: André Bittar)

 

Na casa do consultor Sidinei dos Anjos Peró, 55 anos, um dos presos em Campo Grane na Operação Ofir, deflagrada pela Polícia Federal e Receita Federal na manhã de ontem (21), foram apreendidas quatro armas, 538 munições e dinheiro. O valor apreendido não foi divulgado.

No total, foram localizados três pistolas, duas calibre 380 e calibre 22, revólver calibre 22, uma luneta, 12 carregadores e 538 munições de vários calibres, inclusive de pistola 9 milímetros. Sidinei tinha documentação apenas de uma das pistolas.

Uma das armas foi encontrada em compartimento oculto na parte inferior do armário do suspeito durante cumprimento do mandado de busca e apreensão no residencial Setvillage I, na Vila Nasser. Contra Sidinei, também havia mandado de prisão temporária expedido pela 3ª Vara Federal.

Conforme o auto de prisão em flagrante, o investigado alegou à polícia que as armas eram usadas para se proteger, pois recebia ameaças de morte. Ele afirmou ainda que uma das pistolas pertencia a seu filho, que também corria risco de vida. Sidinei conta que sofreu três tentativas de homicídios. Ele confessou ainda que chegou a adquirir dois coletes balísticos no começo de outubro deste ano, em Brasília.

Quanto ao dinheiro encontrado, o suspeito relatou que o valor seria destinado ao pagamento de seus advogados para dar continuidades a liberação de um dinheiro aplicado indevidamente e sem a sua autorização em um banco da cidade. 

Até ontem no fim da manhã, a operação contra a quadrilha de golpistas, tinha apreendido mais de R$ 1 milhão em dinheiro e 200 kg em pedras preciosas

Uma das pistolas que foi encontrada na casa de Sidinei  (Foto: divulgação/Polícia Federal) Uma das pistolas que foi encontrada na casa de Sidinei (Foto: divulgação/Polícia Federal)

 

 

Caso - Além de Sidinei, foram presos temporariamente na operação Celso Éder Gonzaga de Araújo e Anderson Flores de Araújo. No total, 18 dos 19 mandados foram cumpridos, sendo 11 de busca e apreensão, quatro de prisão temporária e quatro de condução coercitiva em Campo Grande, Terenos, Goiânia (GO) e Brasília (DF). 

Segundo a PF, os estelionatários vendiam a ideia da existência de uma mina de ouro que foi explorada há muito tempo, mas que os valores das comissões de revenda feitas ao exterior ainda estariam sendo repatriados (devolvidos ao Brasil). O direito aos montantes poderiam ser cedidos e vendidos a terceiros, obviamente, mediantes adiantamentos em dinheiro. “Existe, inclusive, a esdrúxula figura de contrato de doação mediante pagamento”, detalhou a Polícia Federal em coletiva de imprensa na manhã de ontem.

A cota mínima era de R$ 1 mil. Para dar credibilidade às propostas, os golpistas falsificavam documentos de instituições públicas federais. A rede de golpistas teria feito ao menos 25 mil vítimas em todos os Estados brasileiros.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions