A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

18/08/2011 15:22

Cantinas terão de comercializar alimentos saudáveis para alunos das redes pública e privada

Marco Antonio Brito

Proposta está em tramitação na Câmara é deve ser votada na próxima semana

Projeto regulamenta venda de alimentos em cantinas dentro de escolas. (Foto: Reprodução)Projeto regulamenta venda de alimentos em cantinas dentro de escolas. (Foto: Reprodução)

Na esteira das discussões por uma melhor qualidade de vida e uma alimentação saudável, tema amplamente debatido na Conferência "Alimentação Adequada e Saudável - Direito de Todos", aberta na quarta-feira (17) pela Secretária de Estado de Trabalho e Assistência Social Tania Maria Garib e o governador André Puccinelli, a Câmara Municipal de Campo Grande deverá votar na próxima semana Projeto de Lei de autoria do vereador Cristóvão Silveira (PSDB) que define "normas para a comercialização de alimentos nas cantinas da rede pública e instituições privadas de educação básica de Campo Grande".

Já aprovado por unanimidade em primeira discussão, o projeto estabelece que a comercialização de alimentos, como balas, pirulitos, gomas de mascar, biscoitos recheados, refrigerantes, sucos artificiais, salgadinhos e pipoca industrializados, e frituras em geral, fica proibida nas cantinas das escolas de educação básica, ensino fundamental e médio. Em substituição a esses "alimentos", as cantinas deverão oferecer aos alunos frutas da estação "in natura" (inteira ou em pedaços), sucos de frutas, bebidas lácteas, sanduíches naturais e produtos assados. Além disto, para comercializar esses alimentos, os manipuladores deverão passar por um curso de capacitação e a cantina só poderá ser administrada por pessoa "devidamente assessorada em aspectos de alimentação e nutrição".

"Estamos primando pela educação alimentar de nossos alunos e pela qualidade de vida", defende o vereador Cristóvão Silveira que acredita não haver empecilhos para a aprovação do projeto, em segunda discussão, mesmo com a manifestação contrária de alguns empresários do ramo de alimentos industrializados que vislumbram prejuízos para os negócios caso o projeto seja aprovado e a lei sancionada pelo Executivo. "Não estamos querendo prejudicar ninguém. Só queremos que as cantinas passem a oferecer produtos realmente condizentes com as necessidades das crianças", ressalta Silveira.

Exemplo adventista - Na capital, a Escola Adventista adota a comercialização de produtos naturais (sucos, assados, frutas etc) em sua cantina, evitando frituras e refrigerantes. Para Silveira este é um exemplo a ser seguido. "A proposta é educar a criança com uma alimentação mais saudável. Porque, depois de adulto, fica difícil", acredita o vereador.

Apesar do projeto estabelecer normas para as cantinas, ele não proibe a comercialização de doces, refrigerantes e produtos industrializados nas imediações do ambiente escolar. Também não impede que o aluno traga de casa o próprio lanche. Mas estabelece que as escolas devem adotar um conteúdo pedagógico e manter em exposição material de comunicação visual, abordando: alimentaçãoe cultura; refeição balanceada; hábitos e estilos de vidas saudáveis; fome e segurança alimentar entre outros.



Sou contra. Educacao alimentar se aprende na familia. Nada adianta a criança e o adolescente nao comprar tais produtos na escola se em casa o pai e mae acha normal tal alimentaçao. Tenho dois filhos na FUNLEC e por conta propria evitam esse tipo de alimentaçao. E mais uma questao de educacao a ser discutida!
 
juari lopes pinto em 24/08/2011 11:40:53
Concordo com o projeto, e acredito que nossos vereadores tem sim que se preoucupar com a saude das criancas, em casa a gente orienta, mas se a cantina oferece produtos industrializados a crianca fica vendo os outros comerem e tem vontade, e nos acabamos tendo pena e damos dinheiro, sem falar das criancas que os pais nao tem dinheiro e ficam olhando com vontade. Os donos de cantinas devem se adaptar a lei e procurar oferecer alimentos saudaveis, vao ter lucro do mesmo jeito.
 
ronaldo cesar em 22/08/2011 08:40:45
Na minha opinião não deveria existir cantina nas escolas, pois tem muitas crianças que os pais não podem comprar nem uma bala, aí ficam vendo outras crianças comendo, bebendo, então elas pedem, outras tomam do coleguinha. A escola pública tem que fornecer uma merenda saudavél e de qualidade, dinheiro tem, só falta ser bem administrado.
 
gloria aparecida em 20/08/2011 07:48:52
Ótima iniciativa, vamos acabar com a obesidade infantil, essa lei não prejudica ninguém nem mesmo os donos de cantina, porque se não tem bala, biscoito e refrigerante para vender as crianças vão ter que comer frutas, sucos naturais e etc.. E cabe aos pais evitar que as crianças comprem estes tipos de alimentos fora da escola, ou pais tem que ter controle sobre o filho. E se achar que vai ficar caro comprar na cantina, use a tradicional lancheira, compre no mercado (que fica mais barato) e prepare o lanche do seu filho conforme o permitido.
 
Adriane C Correa Soares em 19/08/2011 11:28:02
Quantas pessoas, pais de família que irão ficar desempregados? quantas cantinas irão fechar, os alunos não irão consumir frutas e nem salgados assados, eles as vezes tem boa frequência por motivo de poder comprar e se deliciar de produtos que toda criança gosta, que são as guloseimas. Essa educação vem de berço e nós não estamos preparado para esse tipo de decreto, infelizmente.
 
Olavo Junior em 19/08/2011 11:12:00
Eu acho que vcs que dá mais importância com a falta de segurança os bairros e não fazer esse lei para proibir venda de alimentos nas cantinas das escolas..Eu acho um absurdo essa iniciativa.Enquando os bairros estão sem policiamento para proteger os comercios dos roubos, vcs ficam perdendo tempo com coisas bobas e sem importância.
 
Daniele Santos em 19/08/2011 10:52:00
Este projeto de Lei deve-se estender para todo o estado e não só para a capital, devendo ser válida para ambulantes que ficam em frente às escolas comercializando tais produtos. Temos que dar prioridade a qualidade de vida de nossas crianças, mudando seus hábitos alimentares começando dentro do convívio familiar com a concientização dos pais e estruturado dentro das escolas, através de exposição em sala de aula de conteúdo pedagógico com metodologias variadas a fim de manter em exposição diária, material de comunicação visual, abordando: alimentação e cultura; refeição balanceada; hábitos e estilos de vidas saudáveis; segurança alimentar entre outros, afastando assim um mal que está atingindo os adolescentes e crianças, que é a obesidade, diabetes e problemas cardíacos. Excelente iniciativa do vereador Cristóvão Silveira. Parabéns!
 
Marina Martins de Araujo em 19/08/2011 09:51:23
Vão proibir pirulitos, biscoitos e refrigerantes mas vão continuar permitindo canivetes, armas e afins...

Não faz sentido!

 
Mariana Duenha em 19/08/2011 09:36:26
Esse projeto é bom. Mas com certeza essa mudança, um filho de pai assalariado que compra de vez enquando, nao vai mais comprar pois os preços serão muitos mais caros. quanto seria um pedaço de fruta.... ainda mais os donos ter que ser capacitados, como irão fazer os cursos pois muitos nao tem tempo, quem ira pagar esse curso de capacitação. o governo. è mais uma forma de tirar dinheiro. ou querem colocar pessoas que ele querem......
 
thiago souza em 19/08/2011 09:33:57
Parabéns ao Vereador pela iniciativa, pois além de combater a obesidade e outros problemas sistêmicos, contribui para a redução da cárie dentária em nossas crianças e jovens.
 
Oneide Toniazzo em 19/08/2011 09:22:23
Essa medida só vai prejudicar os donos de cantina, pois não vai mudar nada, se a criança não achar bala pra comprar dentro da escola com certeza ela vai comprar lá fora que é pior....Pois em frente das escolas estão cheio de bancas de doces e salgados e se brincar outras coisas também....
 
Rosangela Carvalho em 19/08/2011 09:03:00
Parabéns pela iniciativa... agora só falta conscientizar os "pais" que, para a criança escolher um alimento saudável na escola... é preciso que tenha isso em casa!!! Muitas mães preferem encher o filho de "isopor industrializado" do que oferecer uma fruta... afinal dá menos trabalho...
Em contrapartida... a "escola" tb tem o seu papel para fiscalizar esse lanche natural, afinal a fruta em pedaços de "ontem" pode ser comida amanhã!!! E o suco então... pode ser guardado a semana inteira... eca!!!!
São muitos o problemas que aparecerão, acredito que aos poucos, todos podem ir se adaptando... é preciso estudo, discussões com os donos das cantinas para que eles percebam que não vão "perder o sustento da família" só por parar de vender alguns produtos...palestras para demonstrar a importância dos lanches saudáveis e fiscalização, para não haver abuso na cobrança dos preços e qualidade nesses lanches.
Esse projeto, se aprovado, deve ser implantado aos poucos... pois só assim poderemos ver avanço, o que é "imposto" sem discussão não vai para frente e, sem conhecimento, as pessoas vão ficando contra sem saber exatamente porque fazem isso. São levadas pela maioria que faz a crítica pela crítica.
Parabéns ao vereador Cristóvão Silveira por encarar essa briga... vamos ver se essa lei não fica só no papel... como acontece com tantas outras.


 
Silvia Cecil em 19/08/2011 08:44:32
Acredito que o vereador esteja equivocado querendo proibir este tipo de comercialização, deveriam ser oferecidas as duas opções: naturais e industrializados.
A conscientização deve ser feitas com os pais e com as crianças devem ser aletados sobre o mal que os produtos industrializados fazem mas, proibir a venda de BALA???

"Com certeza o nobre vereador não teve infância, né?"
 
Washington Andrade em 19/08/2011 07:46:37
parabens por essa grande iniciativa - é atraves da educação e orientação que teremos futuros cidadãos saudaveis, diminuidndo muito o grande mal do seculo a OBESIDADE e suas consequencias socio economicas. Só espero que os nossos politicos não nos decepcione mais uma vez.
 
jussara hokama em 19/08/2011 07:26:34
Boa iniciativa. Alias devia se estender para a merenda tambem, deveria ser proibido o feijão pré-cozido de qualidade duvidosa e a carne de avestruz com cheiro e sabor muito estranho, isso pra começar .....
 
Ricardo Lopes em 19/08/2011 07:18:31
Como nutricionista, não concordo. Em primeiro lugar viso a educação de nossas crianças, a proibição destes produtos dentro das cantinas não vai sanar os grandes problemas de maus hábitos alimentares que levam grande parte desta população a diversos tipos de doenças como: diabetes tipo II, hipertersão, hipertrigliceridemia e etc., Ou seja crianças com doenças de adultos. Temos que que educar e ensinar nossas crianças a saber escolher o que é saudável para sua alimentação e evitar estes alimentos que coloquem em risco sua saúde e sua qualidade de vida e bem-estar futuro.
 
Ester Souza dos Santos - Nutricionista em 19/08/2011 03:16:13
Totalmente a favor.. da iniciativa.
Apesar de muito ensinar em casa.. As vezes é complicado para criança escolher pelo mais saudavel, sendo que os coleguinhas vivem se enchendo de doce.

Pior ainda quando tiram sarro dele por levar uma fruta ou alguma coisa mais natural.
 
Fany Vigato de Oliveira em 19/08/2011 02:12:29
Concordo com a alimentação saudável, no entanto, acredito que isso deva fazer parte da educação e responsabilidade dos pais. Nossos vereadores, deputados (estaduais e federais), senadores e políticos deveriam estar mais preocupados com a política social, garantir melhor educação nas escolas, com professores melhor remunerados, geração de empregos, habitação, ou seja, cumprir a Constituição, já que para isso foram eleitos.
Deixem os pais educar seus filhos!
 
Luiz Junot em 19/08/2011 01:18:38
Parabéns à iniciativa!!! Tomara que essa lei entre em vigor logo. Os pais que estão preocupados com a saúde de seus filhos tenho certeza que ficaram contentes com a notícia. Essa mudança deve ser estendida nas merendas escolares também!!!
 
Gracy Kelly em 19/08/2011 01:02:09

Acho isso uma sacanagem que estão querendo fazer com os permissionários de cantina, pois tenho cantina em escola pública e nem ao menos fui informado que haveria uma audiência sobre o assunto, acredito todos que possuem cantina também não foram informados. Os vereadores que aprovam esse tipo de projeto nem sabe o que é realmente uma alimentação saudável, pois eles mesmos preferem dar o dinheiro a seus filhos do que prepararem um alimento saudável a eles.
Quantos donos de cantina ficarão sem seu sustento de cada dia? Inclusive para alimentar sua família.
Com a aprovação desse projeto é o mesmo que tirar o sustento de uma família para satisfazer a necessidade de "um homem".

Gostaria que a Campo Grande NEWS me informasse sobre a próxima audiência.

Obrigado!
 
Pedro Paulo Coimbra Loango em 18/08/2011 11:03:25
LEGAL, E VAI VENDER O QUE PARA AS CRIANÇAS? SE UMA BALA NA CANTINHA É UM ABSURDO OS PREÇOS, IMAGINA SANDUICHES NATURAIS, PARA OS FILHOS DOS VEREADORES QUE VAO APROVAR ESSA IMENDA TANTO FAZ, ELES TEM DINHEIRO PARA COMPRAR QUALQUER COISA MESMO!!!!!!
 
diego santos em 18/08/2011 08:48:30
Esse projeto merece todo o nosso apoio. Se for aprovado as crianças de hoje terão menos doenças na vida adulta. As cantinas das escolas são uma verdadeira fábrica de alimentos do mal que, espero, estejam com os dias contados.
 
Eron Brum em 18/08/2011 08:19:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions